Cerca de 79 propostas de investimento privado avaliadas em mais de 571 milhões de dólares foram recebidas pela Agência de Investimento e Promoção das Exportações (AIPEX) durante o ano de 2018. Dos pedidos recebidos, um total de 65 propostas foram registadas e emitidos os Certificados de Registo de Investimento Privado, no valor de 547,6 milhões de dólares norte-americanos, maioritariamente nos sectores da Indústria e do Comércio. Em termos de volume de investimento, o sector da Indústria tem merecido a preferência dos investidores, totalizando mais de 264 milhões de dólares, seguido da Agricultura (109 milhões), Pescas (64 milhões) e Comércio (53 milhões). O sector industrial representa cerca de 50 por cento do volume de investimentos registados, com destaque para a Indústria Alimentar(lacticínios, massa alimentar, massa de tomate e bebidas), seguido pela Agricultura, com 21 por cento e Pescas com 10. Desta feita, com a implementação das 65 propostas, pelo menos mais de quatro mil postos de trabalho poderão ser criados em todo o território nacional, segundo o administrador da Aipex, Lello Francisco.

Ganhos
Adiantou que o mês de Agosto foi o período com o maior número de propostas registadas de investimento, 30, seguido do mês de Setembro e Outubro com 15 e 8 respectivamente.
O administrador para a área de avaliação de propostas de investimento, estudos e acompanhamento de projectos, informou, recentemente, que a província dew Luanda é a que tem mais projectos aprovados, no total 42 registados avaliados em 249,7 milhões de dólares, seguida pela província de Malanje com cinco projectos no valor de mais de 105 milhões de dólares e Bengo com oito propostas estimadas em mais de 57 milhões de dólares.
Assiste-se uma concentração de investimentos na zona litoral com realce para a cidade de Luanda que sozinha congrega um preço de 47 por cento no volume global de investimentos registados e de 64 do número de propostas, fruto das condições infra-estruturais que apresentam.
Estes projectos, acrescentou, têm em comum serem financiados pelos próprios investidores com recurso ao crédito bancário e de terem o potencial para reduzir as importações dos produtos a que se dedicam.
Dos investimentos aprovados, 32 correspondem a investidores nacionais perfazendo 49 por cento das propostas, avaliados em 249 milhões de dólares.
Dos investimentos de origem estrangeira destacam-se os provenientes da República Popular da China, num total de seis propostas aprovadas correspondentes a mais de 56 milhões de dólares, seguida da Eritreia com três projectos aprovados compreendido em mais de oito milhões de dólares.
Relativamente ao destino dos investimentos, Luanda continua a liderar a preferência dos investidores com 71 por cento do número de pedidos de registo de novas propostas de investimentos, seguida das províncias do Bengo (10), Malanje (7) e Benguela (4).

Metas
Por forma a atrair o maior número de investimentos, a AIPEX está a evidenciar e a priorizar a sua actuação em 21 países e investidores de maior potencial, nos Sectores da Agro-indústria vegetal, Produtos do Mar, Metais e Minerais, Pedras Preciosas, Madeira, Turismo, Têxteis, entre outras áreas.
A medida enquadra-se no desenvolvimento do Projecto de Captação de Investimento Privado (PROCIP), aprovado em Conselho de Ministros, no mês de Outubro, que visa captar mais investimentos diferenciados em vários sectores da economia do país.
Lello Francisco adiantou que a medida faz parte dos cinco pilares definidos pela AIPEX, que propõe atingir os objectivos definidos pelo Executivo no Plano de Desenvolvimento Nacional (PDN) 2018/2022.
A curto e médio prazo, a instituição tem em forja um novo projecto referente à promoção das exportações de produtos nacionais como frutas silvestres, frutos do mar, as rochas ornamentais, banana e sal entre outros.