A teoria da administração pública tem sido baseada nas noções de hierarquia e autoridade. No entanto, a forma como os gestores gerem está cada vez mais distante dessa tese.
A modernização da gestão pública tem sido muito discutida nos últimos tempos, não só pelo avanço tecnológico, mas principalmente pela ineficiência e ineficácia na prestação de serviços ao cidadão como também pela ausência de conhecimento por parte dos servidores e a resistência na adopção de novos métodos e ferramentas que venham melhorar o atendimento.
É por este facto, que a gestão pública moderna e eficiente tem chamado atenção dos cidadãos e os conscientizado para a necessidade de cobrar a mudança na gestão por parte dos seus representantes públicos. Despertando assim um novo pensamento e provocando-os a se questionar e reflectir a desigualdade na prestação de serviços públicos.

Desafios
O grande desafio dessa nova gestão pública é exactamente a busca por uma gestão eficiente, promovendo a competitividade do estado e a qualidade de vida do cidadão. Um dos factores que se fez necessário adoptar uma nova administração pública foi à substituição do modelo burocrático por um modelo gestão, esta que nasceu como uma estratégia da visão neoliberal para reduzir os custos e tornar a administração pública mais eficiente, eficaz e efectiva.

Mudança de paradigma
Em meio às mudanças ocorridas na Administração Pública que antes tinha o seu foco principal nos procedimentos internos, onde predominava uma forte burocracia, nas últimas décadas o que se observa é que essa nova gestão pública está focada mais no cidadão e nos resultados a serem alcançados. Esta administração passa por mudanças para atender da melhor forma as pessoas que estão cada vez mais exigentes e cientes dos seus direitos e deveres. Alguns gestores por sua vez, já estão com uma nova mentalidade a cerca dessa nova gestão, direccionando os esforços para implementá-la.
É importante ressaltar que este novo modelo de gestão deve buscar de forma permanente a sua estruturação para alcançar os objectivos desejados de forma holística, atendendo dessa forma a qualidade da oferta de serviços, diminuição na corrupção, transparência, investimentos na capacitação do servidor, promovendo a sua valorização, tentando assim responder da melhor forma possível e com resultados plausíveis a população que espera melhorias e qualidade. Os órgãos da administração pública devem realizar muitos programas de treinamento, para disseminar esses novos conceitos e instrumentos de gestão.
O sucesso desse novo modelo de gestão depende principalmente da consciencialização dos cidadãos que são responsáveis por eleger os seus representantes e mais ainda pelo interesse de cada organização e de cada servidor para alcançar esses objectivos. Exigindo-se uma postura diferenciada do gestor público, mais flexível, criativa e empreendedora.
Toda essa discussão e necessidade por uma gestão pública moderna que tem como referência o modelo de gestão privada traz à tona a oportunidade de melhorar as premissas da planificação, organização, direcção e controlo para gerir uma estância pública e alcançar esses resultados.