A tecnologia alemã pode contribuir para o desenvolvimento da economia digital em Angola, aumentando a capacidade produtiva do país, disse esta semana, em Luanda, o vice-embaixador da Alemanha, Marco Mattheis.
Em declarações à imprensa, à margem do workshop ‘‘Transformação Digital em Angola: Indústria 4.0”, organizado pelo Instituto Superior Politécnico de Tecnologias e Ciências – ISPTEC, o diplomata sublinhou que, nos sectores das energias e mobilidade, há muitas possibilidades de Angola desfrutar da Alemanha.
Sem citar algum investimento em concreto, disse que a Alemanha vai estudar a possibilidade de uma linha de crédito, explicando que a Siemens tem vários projectos com as instituições académicas, realçando o desenvolvimento de manuais sobre a energia renovável, um requisito para desenvolver o sector da digitalização.
Por seu turno, o director executivo da Siemens, Sérgio Filipe, disse que a digitalização é encontrada de forma incipiente, em Angola, na indústria petrolífera, programadores, podendo ainda melhorar o fornecimento de energia para contribuir na melhoria de vida de todos.
“Quando falamos em diversificação da economia, estamos convictos que é o caminho certo, quando falamos da diversificação da economia creio que a digitalização pode trazer um contributo para a capacidade produtiva do país, tendo a eficiência e a eficácia do que se está a fazer”, referiu.
Já o director geral do ISPTEC, Euclides Luís, disse que as instituições de ensino superior têm um papel essencial no desenvolvimento de soluções tecnológicas, através de projectos científicos, na formação de quadros orientados para maximizar a implementação e as vantagens da indústria 4.0 e no auxílio ao Estado angolano na estruturação do seu mosaico de integração tecnológica, reflectindo os benefícios em áreas como a agricultura, saúde, educação, energia, indústria e cibersegurança.
O Instituto Superior Politécnico de Tecnologias e Ciências é uma instituição que resulta de uma parceria público-privada com a participação da Sonangol, tendo iniciado as suas actividades académicas em 2012.