A política de vistos do Governo de Angola é uma das razões de fundo para a eleição do país como o 5º destino turístico por visitar em 2019, numa escolha da publicação especializada em viagens Globe Spots.
De acordo com o site, Angola deixou de ter um dos processos de vistos mais difíceis do mundo para conceder vistos electrónicos, alteração que faz com que mereça maior reconhecimento entre viajantes.
Os especialistas destacam também a diversidade das paisagens angolanas, que incluem desde o deserto habitado pelas tribos do Sul, às montanhas e cascatas. No roteiro angolano, o Globe Spots enumera ainda o Mausoléu Agostinho Neto como um dos pontos a considerar.
Esta é a primeira vez que o país aparece na lista, que é feita há 11 anos. Entre os pontos destacados no texto estão as paisagens de deserto habitadas por tribos, passando por montanhas e cachoeiras.
A publicação ainda diz que, embora os habitantes locais e os expatriados gostem de salientar que Luanda é uma das cidades mais caras do mundo, Angola não é necessariamente cara para os turistas.
A lista de 10 países é integrada por São Tomé e Príncipe; Belorussia; Suécia; Butão; Angola; República de Artsaque; Ilhas Maurícias; Taiwan; Rússia (Far East Russia) e República Dominicana.
Um relatório sobre a competitividade turística do Fórum Económico Mundial, publicado em 2017, apontava Angola e Moçambique entre os dez destinos turísticos que devem registar na próxima década um maior crescimento da procura para viagens de lazer.
Os países em desenvolvimento e emergentes são as “estrelas” do Relatório de Competitividade de Viagens e Turismo 2017, que conclui que grande parte deles “melhorou significativamente o seu desempenho desde 2015”, quando foi publicada
a anterior edição.