Evitar erros de gestão financeira pode depender de sete passos fundamentais, que passam, por exemplo, por não ter pagamentos em atraso por realizar. Acompanhe abaixo os sete passos:
1. Não criar um fundo de emergência - Um fundo de emergência é a rede de protecção necessária para evitar desastres. No mínimo, deve economizar de seis a nove meses despesas mensais numa conta bancária separada para cobrir imprevistos, como a perda do emprego, uma doença inesperada ou gastos emergenciais;
2. Realizar pagamentos com atraso - Todo o mês, o seu objectivo deve ser o de efectuar pagamentos no valor integral e no prazo. Caso contrário, poderá sofrer penalidades e um impacto negativo na sua pontuação de crédito. Para evitar pagamentos em atraso, coloque as suas despesas em débito automático. A tática pode resultar em economia de tempo, dinheiro e frustrações;
3. Ignorar uma dívida - Não pule pagamentos. Quer seja um empréstimo estudantil ou pessoal ou uma parcela do cartão de crédito, tem um compromisso contratual, é necessário sanar essa dívida. Ao ignorar uma pendência, vai sofrer cobrança de taxas e multas e pode ter a sua pontuação de crédito afectada;
4. Ficar inadimplente - não quer ficar com o nome sujo. Antes de fazer um empréstimo, entenda as taxas de juro, o pagamento mensal necessário e as condições contratuais. Se achar que não consegue arcar com os valores, não assuma o risco;
5. Adquirir um imóvel que não pode pagar - Uma casa é um lugar para construir memórias. Não pense nela como um activo que será valorizado automaticamente. Talvez seja, mas talvez não. Se encontrar a casa dos seus sonhos, verifique se o financiamento cabe no seu bolso;
6. Retirar dinheiro do seu fundo antes da hora - Não faça uma retirada antecipada do seu fundo de pensão. Se fizer isso, poderá enfrentar penalidades, bem como deduções de impostos sobre o valor solicitado. Da mesma forma, empréstimos com desconto em sua conta de aposentadoria também são arriscados, mesmo se as taxas de juro forem baixas;
7. Não consolidar a dívida de cartão de crédito com um empréstimo pessoal - Cartões de crédito podem ser óptimas ferramentas financeiras. Entretanto, em caso de dívidas, os juros podem chegar a valores exorbitantes. Uma opção é consolidar esse débito num empréstimo pessoal - um crédito não garantido que normalmente é pago entre três e sete anos.