A auditoria contabilística e financeira ajuda de grande forma na avaliação dos processos de gestão de risco nas organizações e melhoram a sua imagem externa.
As auditorias contabilísticas, além de aferir a exactidão do cumprimento dos normativos e práticas naqueles domínios, devem focalizar a sua acção no adequado controlo organizacional e nas suas práticas de gestão, na medida em que o risco pode ser entendido como a possibilidade de qualquer ocorrência ter impacto materialmente relevante sobre os resultados e os objectivos de uma organização.
Esta prática de gestão interna é um importante instrumento de melhoria da informação contabilística que é disponibilizada pelas organizações, devendo essa, colocar ênfase nas debilidades organizativas e nos controlos internos, de forma a contribuir activamente para uma melhoria constante da organização e a garantir que as demonstrações financeiras produzidas para os stackeholders, transmitem, de forma apropriada e verdadeira, a real situação patrimonial da Organização.
Por auditoria pode entender-se como sendo o processo de acumulação e avaliação de prova sobre certa matéria para determinar e relatar o grau de correspondência entre essa matéria e os critérios estabelecidos para a mesma. Essa matéria pode, de entre outras, revestir a forma de informação financeira ou não, procedimentos, conduta das operações, resultados das operações, ou o cumprimento das leis, regulamentos e ordens.
Tendo em conta o seu objecto e objectivos, a auditoria pode classificar-se em auditoria interna e auditoria financeira. Mas, considerando a natureza das entidades onde é realizada pode dividir-se em auditoria no sector privado e auditoria no sector público.