Para conferir as diferenças fundamentais entre o gestor e o líder, apresentamos nesta edição a visão do consultor de propaganda e marketing, Sidney Paixão Antunes.

Sidney Antunes começa a sua abordagem com a seguinte pergunta.

O que é melhor para empresa, um líder ou um gestor?
Para o consultor o líder é aquele que coloca a sua realização pessoal em segundo plano e o que vem em primeiro lugar são os seus colaboradores, a realização de um projecto dentro da empresa e o bem-estar de todos.

Na sua óptica, os gestores e os denominados “chefes” não pensam assim. Eles colocam em primeiro lugar o ego individual.
De acordo com Sidney Antunes nos últimos anos, as pessoas têm estado a procurar um ambiente de trabalho saudável para desenvolver melhor as suas tarefas e “aguçar” a sua capacidade de desenvolvimento, criando o interesse em se especializar para contribuir ainda mais na empresa.

Para o autor, quando o equilíbrio dentro do local de trabalho é alcançado, o ambiente se torna mais agradável e a performance melhora, o motivo é um actuação de um líder.

O consultor de propaganda e marketing acredita que o gestor normalmente vê os colaboradores como peças que estão lá simplesmente para seguir ordens e os prazos determinados pelos projectos a serem cumpridos. Não criam um diálogo saudável e nem condições para que o colaborador possa se manifestar e opinar sobre as tarefas a serem realizadas.

Contributo
Numa pesquisa realizada pela SBC, dirigida a gestores de recursos humanos de empresas e eventos, mostrou que 84 por cento das pessoas no local de trabalho só desempenham 60 por cento da sua capacidade. Dai a seguinte pergunta.

Por que isso ocorre?
Essa situação é clara, pois o ser humano tem desejo da realização pessoal.
Se no departamento o gestor não entender isso, ele jamais vai motivar o seu colaborador, que por sua vez trabalha sem interesse algo e assim podendo até prejudicar o seu desenvolvimento profissional.

Já o líder procura estimular o seu colaborador para que ele automaticamente possa se motivar e sentir que a sua presença é fundamental para a conclusão das tarefas.

O líder também tem a importante tarefa de manter os seus colaboradores comprometidos com os projectos, para que os resultados possam ser atingidos da melhor forma e tranqüilidade possível.

Diferente do gestor que cobra resultado e se não for alcançado, procurar transferir a sua responsabilidade, colocando a culpa em terceiros.

Mesmo assim, precisamos ter cuidado na hora de identificar um líder de um gestor. Pois temos dois estilos como os gestores actuam no local de trabalho, nomeadamente o estilo de liderança modelador, aquele que procurar moldar o seu colaborador da forma que lhe convém, fazendo que as pessoas realizem as tarefas da mesma forma que ele faria. Se o colaborador não seguir as recomendações, o gestor acaba se tornando autoritário para conseguir o seu objectivo.

Já o segundo estilo, no caso o “afiliativo”, o gestor procura justificar tudo o que acontece no seu departamento e assim tenta manter um clima saudável, evitando conflito.

Tem a característica de amenizar todas as situações. Quando precisa ser enérgico, prefere proteger sua a equipa das situações desagradáveis e assim dificulta o crescimento de ambos dentro do local de trabalho.

Nesses estilos de gestores, podem notar que o interesse próprio sempre está em primeiro lugar e isso não combina como estratégias para as empresas de hoje em dia.

As empresas procuram líderes dinâmicos que possam resolver os problemas diários e executar as tarefas com precisão e no menor tempo possível.