A Comissão para a Política Social do Conselho de Ministros recomendou, esta semana, a revisão do regulamento de bolsas de estudo internas e externas, tendo em conta a necessidade de formação em áreas prioritárias para o desenvolvimento do país.
De acordo com o comunicado final da 3ª Sessão Ordinária, o processo de atribuição de bolsas de estudo deve ter em conta a necessidade de formação em áreas prioritárias para o desenvolvimento do país.
A Comissão tomou conhecimento de um memorando sobre o estado das bolsas de estudo internas e externas, onde se dá nota que o Instituto Nacional de Gestão de Bolsas de Estudo (INAGBE) controla 22 mil e 69 bolseiros internos e três mil 784 externos, nos diferentes níveis de formação superior.
O órgão recomendou, ainda, que o Departamento Ministerial responsável pelo ensino superior identifique universidades de referência no mundo, com as quais se possam estabelecer convénios no domínio da formação.
Na reunião desta semana, a Comissão apreciou também, por outro lado, os Projectos de Decretos Presidenciais que aprovam os Estatutos Orgânicos do Instituto Nacional do Cinema e do Audiovisual.
 A entidade tem como objecto a concepção e a implementação da política e estratégia de Estado em relação à actividade cinematográfica e áudio visual, e do Instituto Nacional das Indústrias Culturais, cuja vocação é coordenar e implantar as políticas nacionais de fomento, apoio e desenvolvimento das indústrias culturais e criativas, bem como investigar e promover a leitura e
edição de livros e discos.
A 3ª Sessão Ordinária da Comissão para a Política Social do Conselho de Ministros foi orientada pelo Ministro de Estado do Desenvolvimento Económico e Social, Manuel Nunes Júnior, em representação do Presidente da República.