O especialista em comunicação Neil Gordon compartilhou os cinco maiores erros que podem ser cometidos pela maioria dos oradores de grandes ou pequenas paletras.
Gordon afirma que o desafio é impressionar a audiência nos primeiros sete segundos, algo bastante difícil de fazer. Ele auxilia autores e oradores no desenvolvimento e melhora as habilidades de comunicação. Trabalha com executivos, influenciadores e líderes de ideologias e ajuda essas pessoas a vender centenas de milhares de livros, serem vistas em shows de TV e duplicar as suas comissões de discurso.
Antes de se tornar um técnico de comunicações, Gordon trabalhou na equipa editorial da “Penguin Random House”, onde teve contacto com autores de best sellers do “New York Times”. Ele trabalhou como ghostwriter e colaborou em livros publicados por Penguin Random House, Harper Collins e Hay House.
Estes são, na opinião dele, os cinco maiores erros cometidos em discursos públicos:

1. Dar todo o conteúdo dos slides de uma vez
“Marcadores em slides costumam ser muito distrativos. Mas um orador atento pode animar um componente da apresentação por vez para manter a audiência sempre atenta”.
Gordon discorda do assunto de Power Point, dizendo que odeia oradores que usam PowerPoint com marcadores. Quando insistem que use slides, coloco apenas fotos neles, sem nenhuma palavra.

2. Oferecer explicações detalhadas
“Muitos oradores fazem das suas palestras uma explicação de todo o sistema, normalmente transmitidas por meio de um acrônimo esperto. Mas 46 dos 50 TED talks mais populares oferecem apenas uma ideia central que pode ser integrada em diversos momentos e lugares. A audiência pode continuar explorando o assunto depois”.

3. Contar a história de vida
“Muitos falam sobre como as histórias são poderosas. Mas a diferença entre compartilhar a sua história e compartilhar uma passagem dela pode decidir o sucesso de sua apresentação. Em vez de apenas compartilhar de maneira genérica suas memórias, busque apenas os momentos inesperados que levem a uma mensagem que está tentando compartilhar com outros”.

4. Iniciar pelos objectivos de aprendizado
“Oradores acreditam que mostrar todo o conteúdo da discussão logo nos primeiros momentos pode ajudar a audiência a absorver melhor o material, mas isso é um engano. Teria o mesmo efeito, por exemplo, que os criadores de ‘Vingadores: Guerra Infinita’ contarem o que acontece em ‘Ultimato’ antes do filme ser lançado. Em vez disso, use o mistério a seu favor para resolvê-lo apenas ao final da interacção”.

5. Começar com expressões muito educadas
“A sua audiência vai criar uma impressão de você nos primeiros 15 segundos de apresentação. Dizer coisas como ‘obrigado por me receberam aqui hoje’ acaba com essa impressão inicial. Para explorar a tensão de começo de discurso, entre no palco e, depois de uma breve pausa, comece a falar das primeiras ideias centrais do discurso”.
As palestras motivacionais estão cada vez mais a tomar conta dos grandes eventos corporativos. Como quebram o clima, que em alguns momentos pode ficar pesado, por conta da quantidade de actividades que precisam ser realizadas ao longo do expediente, são óptimas estratégias para apresentar planos, metas e objectivos da empresa e, principalmente, motivar os colaboradores.
O resultado é uma equipa mais engajada, comprometida e animada, que busca realizar as suas demandas de forma eficaz e contribui para alcançar resultados extraordinários.
Por isso, é essencial que empresas, sejam elas pequenas, médias ou grandes, invistam nesta, que é uma maneira altamente eficaz de motivar e engajar os colaboradores, para que se sintam parte dos processos organizacionais, contribuam para o crescimento dos negócios e, com isso, cresçam e se desenvolvam na mesma medida, daí que quem quiser ser bem sucedido na gestão da sua empresa, deve conhecer as regras.