As cinco forças competitivas de Michael Porter constituem verdadeiras ferramentas de planeamento estratégico que não podem faltar no seu repertório empresarial. Entenda como funcionam as forças competitivas:
1. Rivalidade entre os concorrentes: quanto maior a rivalidade, mais difícil será entrar nesse mercado, pois quem já está por lá investe pesado em marketing e pesquisa, além de praticar baixas margens de preços;
2. Poder de barganha dos clientes: quando os compradores dispõem de diversas opções semelhantes para escolher ou têm tempo para tomar a decisão de compra, podem pressionar o mercado a baixar preços e aumentar a qualidade dos produtos e serviços;
3. Poder de barganha dos fornecedores: existem situações típicas de monopólios ou oligopólios, quando os fornecedores praticamente ditam preços e condições, mas outros factores podem aumentar ou diminuir o poder de negociação dos fornecedores, como o grau de diferenciação entre eles, o custo de produção e até a possibilidade de um fornecedor resolver tornar-se seu concorrente;
4. Ameaça de novos entrantes: o mercado conta com barreiras de entrada. Patentes, custos altos de instalação, economia de escala e a força das marcas já instaladas são alguns factores que podem determinar qual o grau da ameaça de novos concorrentes saturarem o mercado rapidamente;
5. Ameaça de produtos substitutos: pense em como o Uber substitui os táxis convencionais e o aplicativo Waze acabou com o mercado de GPS para automóveis. Os produtos substitutos atendem às mesmas necessidades dos seus clientes, só que de outra forma, e às vezes, melhor.