A companhia transnacional Cisco vai doar laboratórios a academias angolanas com certificação Cisco e também dos Palop, anunciou esta semana o director-geral do Instituto de Telecomunicações (ITEL), André Pedro.
O gestor deu esta informação quando falava à imprensa à margem da Conferência Nacional da Cisco e justificou que a multinacional vai doar laboratórios pelo facto de muitos encerrarem por força da
crise económica e financeira.
“Em Angola havia 33 academias, mas só 14 estão activas dada a situação económica, e é nesta condição que a transnacional norte-americana decidiu doar estes equipamentos para manter e reactivar as outras sob alçada do ITEL, nos Palop, explicou.
Para a certificação das academias, a Cisco exige internet e laboratórios físicos, apesar de os exames, para tal, serem feitos online, a partir dos EUA, por isso cada uma delas deve ter switches e roteadores da marca para aulas práticas.
O ITEL é o representante regional da Cisco nos Palop (ASC/ITC). Este encontro está a tratar da actualização que será feita na plataforma da Cisco nos mais de 172 países, onde está representado, com uma média de mais de 100 milhões de formandos e
20 milhões de instrutores.
Neste contexto, o ITEL enquanto regulador deve formar e informar os parceiros sobre a actualização da plataforma que vai sair de quatro para três módulos e com uma melhor integração e a preparar os países africanos sobre o Protocolo de Internet (IPV4) para o IPV6.
Segundo o director, o ITEL é também um representante da “Pearson VUE” em Angola - entidade mundial que certifica industrialmente pessoas formadas em Tecnologias de Informação, que era feita a partir da Índia, mas já é possível obter este nível
de certificação no instituto.
Para si, este tipo de encontros vem mostrar o que se faz no país e esclarecer que dentro dos princípios da Cisco as academias não podem ser concorrentes, mas sim parceiras e unirem sinergias para formarem o maior número de jovens.
Em Angola, o ITEL através do Ministério das Telecomunicações e das Tecnologias de Informação (MTTI) tem cursos subsidiários e em média tem mil e 600 bolseiros/ ano, e os que chegam à academia Cisco sem qualificações têm cursos iniciais mensais e gratuitos, que totalizam quatro
mil e 500 formandos/ano.
Os cursos circunscrevem-se em reparação de computadores, informática na óptica do utilizador, instalação de parabólicas, reparação de rádio e TV, entre outros, suportados pelo MTTI de forma gratuita e os jovens que se destacam vão para a academia, ainda grátis. Dentro de um plano social de fomento ao primeiro emprego.
A Cisco Systems, Inc. é uma companhia transnacional dos EUA sediada na Califórnia. A actividade principal da Cisco é o fornecimento de soluções para redes e comunicações, quer seja na fabricação e venda (destacando-se fortemente no mercado de roteadores e switches) ou mesmo na prestação de serviços por meio das suas subsidiárias Linksya, WebEx, IronPort e Scientific Atlanta.