Há algum tempo, a Netflix aparece como uma ameaça aos provedores de conteúdo que dominam o mercado, como Disney e Comcast. Agora, os investidores também a tornaram uma empresa mais valiosa. Neste ano, até agora, o serviço de streaming já atingiu um valor de mercado de mais de 152 mil milhões de dólares.
Este motivo fez com que houvesse uma valorização no património líquido do co-fundador e CEO da empresa, Reed Hastings, que disparou e já aumentou em 1,4 mil milhões de dólares este ano, para os estimados 3,7 mil milhões, segundo o ranking de multimilionários em tempo real da Forbes. Ele é a 639ª pessoa mais rica do mundo.
Reed Hastings possui cerca de 2,5 por cento das acções da Netflix. A Forbes estima que ele acumulou quase 600 milhões de dólares líquidos por conta de vendas de acções ao longo dos anos. Em 2016, o CEO anunciou que investiu 100 milhões num fundo filantrópico para educação.
Em Março de 2016, a fortuna do CEO chegou a 1,2 mil milhões de dólares. Desde então, os seus ganhos se aceleraram. Na sequência, o seu património líquido chegou a 1,8 mil milhões; a 2,2 mil milhhões em Setembro de 2017; e, finalmente, a 3,6 mil milhões esta semana.
Os investidores estão claramente satisfeitos com a receita e o crescimento de usuários da Netflix. Em 2014, a empresa informou que possui 48 milhões de assinantes em mais de 40 países. Actualmente, possui 125 milhões de usuários em mais de 190 países. Entre 2014 e 2017, a receita anual subiu de 5,5 mil milhões para 11,7 mil milhões de dólares.
Ao longo dos tempos, a Netflix acumulou vários prêmios. A empresa conquistou a sua primeira vitória no Oscar em 2017, com “The White Helmets”, um documentário sobre socorristas voluntários na Síria. Neste ano, levou outro prêmio da Academia pelo documentário “Icarus”, que investiga o escândalo russo de doping no mundial deste ano.