Uma rede angolana de responsabilidade social empresarial, denominada “RARSE”, foi lançada esta semana, em Luanda, com objectivo de promover a criação de uma plataforma que articule os projectos das várias empresas com as necessidades da população.
O projecto visa igualmente a coordenação e a interacção entre as empresas interessadas, e desenvolver acções conjuntas definindo metas para apoiar os esforços dos Objectivos do Desenvolvimento Sustentável.
A iniciativa foi apresentada durante o 3º Fórum de Responsabilidade Social e Cidadania da empresa The Bridge Global, em cerimónia presidida pela ministra da Educação, Cândida Teixeira.

Vantagens da plataforma

Constituem vantagens de pertencer a RARSE participar numa plataforma mobilizadora de programas de apoio social, permitir medir o impacto das suas iniciativas, ganhar dimensão na sua actuação e dispor de uma estrutura de implementação com conhecimento e
capacidade de execução.
Para a ministra da Educação, Cândida Teixeira, a estagnação das políticas educativas, no contexto da educação na realidade africana, retarda em grande medida a evolução no campo económico e social dos países.
Esclareceu que tal facto não aponta a falta de preocupação dos Governos quanto a educação, mas sim a ausência de recursos para acabar com a exclusão escolar.
“Os países que detêm uma boa educação, que zelam pelo cumprimento das leis, que condenam a corrupção, os privilégios e praticam a cidadania, têm como consequência um desenvolvimento social e económico
bem sucedido”, afirmou.
Para si, o desenvolvimento é directamente proporcional ao nível de educação do povo que exerce essa cidadania.
Durante o fórum de um dia foram abordados temas ligados a importância de uma Rede de Responsabilidade Social Empresarial em Angola, a Implementação da RARSE em Angola, o Modelo e Governança da RARSE e
a sua componente jurídica.