O desenho de cargos envolve a especificação do conteúdo de cada cargo, dos métodos de trabalho e das relações com os demais cargos. É o processo de organizar o trabalho através das tarefas que são necessárias para desempenhar um cargo específico. 
Além disso, envolve também o conteúdo do cargo, as qualificações do ocupante e as recompensas para cada cargo no sentido de atender às necessidades dos empregados e da organização. Desenhar um cargo significa definir quatro condições básicas como:
1- O conjunto de tarefas ou atribuições de quem vai ocupar tal responsabilidade ou deverá desempenhar  uma determinada função;
2- Como as tarefas ou atribuições devem ser desempenhadas e quais são os métodos e processos de trabalho;
3- A quem o ocupante do cargo deve se reportar as  responsabilidades, isto é, quem é o seu superior hierárquico directo na empresa;
4- Quem o ocupante do cargo deve supervisionar ou dirigir  a sua  autoridade, isto é , quem são os seus subordinados. O desenho dos cargos define ainda assim o grau de responsabilidade ou de liberdade concedido ao ocupante.
Na verdade, dificilmente o desenho dos cargos é uma tarefa dos recursos humanos, ficando sim nas mãos do órgão de engenharia industrial ( no caso de unidades fabris) ou de organização e métodos ( nos casos típicos de escritórios).
O desenho de cargos afigura-se como fundamental para manter as operações da empresa de forma adequada, garantindo o sucesso da organização. Não obstante, escolher um desenho ideal envolve ainda a satisfação das pessoas ocupantes desses cargos. Para isso, periodizar o enriquecimento dos cargos, agregando tarefas desafiadoras e motivadoras, visando aumentar os factores de satisfação e implementar recompensas e benefícios que premeiem o desempenho excelente, visando diminuir os factores de insatisfação, são fundamentais para manter o sucesso do desenho organizacional.