Herbert Simon, um economista americano, foi um dos precursores da Teoria das decisões. A sua teoria foi capaz de explicar sobre o comportamento humano dentro das organizações, no livro “ O Comportamento Administrativo”. O autor enfatizou igualmente que as organizações são sistemas de decisões e de acordo com a Teoria comportamental, cada funcionário dentro de uma organização participa da tomada de decisões individuais sobre determinado assunto na empresa, sempre considerando os critérios racionais e buscando resultados futuros.
Existem teóricos que se baseiam na tomada de decisão por várias perspectivas, mas conforme os estudos de diversos autores sobre o tema, as organizações seguem os seguintes passos:
1- Expor o problema.
2- fazer um esqueleto do problema e relacionar as suas partes, afim de construir um modelo.
3- Montar o problema de forma técnica
4- Fazer uma simulação ou teste do modelo e as possíveis soluções.
5- determinar e delimitar uma forma de controlo sobre a situação.
6- Colocar em prática a melhor solução dentro da organização.
Os teóricos Koontz e O’Donnell, entendem a tomada de decisões como parte do planeamento administrativo. Chiavenato delimita e explica que o processo decisório deve ser o foco do administrador . A cada dia as teorias sobre o processo decisório evoluem e novas perspectivas surgem, para descobrir o melhor método.
De acordo com o “pai” da tomada de decisões, Simon define decisão como um processo de análise e escolha das alternativas que uma pessoa poderá definir, sendo parte do processo administrativo a tomada de decisões. Assim, nesse processo existem os seguintes elementos:
Tomador de decisões - Aquele que decide ou escolhe um conjunto de alternativas para a acção.
Objectivo - Que o tomador de decisões quer alcançar.
Preferências - Critérios usados na hora de escolha.
Estratégia - Planos de acção utilizados para atingir determinados objectivos, dependendo dos recursos existentes.
Situação - Compreensão do contexto e do ambiente que será atingido pela sua decisão.
Resultado - Consequências da estratégia utilizada pelo tomador de decisões.