O ex-executivo  e fundador da multinacional de tecnologia norte-americana Apple, Steve Jobs, foi eleito pela Harvard Business Review e pelo Insead, recentemente, a título póstumo, o melhor executivo de 2012. Esta é a segunda edição do estudo, onde foram avaliados um total de três mil 143 CEO em 2012, contra quase dois mil, em 2010 em todo o mundo.

Critérios de avaliação
Para a escolha dos melhores executivos do mundo, são levados em conta dados como o aumento no valor de mercado da empresa durante a presidência dos executivos e o retorno aos accionistas em comparação com outras companhias no mesmo país ou na mesma indústria, além de indicativos de desempenho como vendas, lucros ou o índice de inovação. Muitos dos nomes são de profissionais que já foram substituídos, porque o estudo procura analisar todo o tempo passado por um presidente no comando de uma determinada empresa. O ranking utiliza dados até 2010 para melhor avaliação dos impactos da presidência, razão pela qual o actual executivo da Apple, Tim Cook, que substituiu Steve Jobs, em 2011, não foi incluído na amostra. Do ranking top 10, fazem ainda parte executivos como Jeffrey Bezos, Yun Jong-Yong, Roger Agnelli, Jonh Martin, Chung Mong-Koo, YC Deveshwar, David Simon, Margaret Whitman e John Chambers.