Existem perguntas frequentes de como gerir as questões da Higiene e Segurança no Trabalho numa empresa. Como adoptar atitudes pro-activas de segurança, assim como melhorar a qualidade do trabalho e diminuir acidentes?. Como garantir condições de trabalho capazes de manter um nível de saúde dos colaboradores e trabalhadores de uma empresa?. Aqui trouxemos umas dicas para ilucidar os leitores do Jornal de Economia & Finanças:
1 Os gestores que trabalham de forma directa com riscos potencialmente capazes de gerar danos à saúde dos trabalhadores não dispõem do conhecimento necessário para com eles lidar de modo adequado.
2 A administração que convive com riscos, mesmo sabendo da sua existência, não assumem o compromisso de corrigi-los.
3 A Segurança do Trabalho, na prática, só adquire importância nos momentos de crise (quando ocorre acidente grave que pode comprometer principalmente a imagem da empresa.
4 O trabalhador, às vezes, prefere, de forma silenciosa, correr o risco oferecido pela actividade a correr o risco de ser mal-entendido, taxado de medroso e frouxo pelos colegas ou mesmo pela chefia em caso de reclamação
ou de recusa ao trabalho.
5 O trabalhador não é cobrado pela forma como desenvolve seu trabalho, mas pelos resultados. Disso resulta o fato de os supervisores não verem ou fingirem que não vêem o cometimento de “erros” na execução das tarefas.
7 A situação de risco é mantida porque todas as preocupações e recursos são voltados prioritariamente para o atendimento às finalidades do negócio.
8 Uma dificuldade importante do trabalhador no enfrentamento dos riscos do trabalho reside nas freqüentes alterações de funções para atendimento às demandas de trabalho, por causa do reduzido número
de trabalhadores.