Frequentemente ouvem-se pessoas dizer que o dia precisava de ter mais horas para que pudessem cumprir com a sua agenda diária. Na verdade, existe tempo suficiente . O que pode estar em falta é uma gestão correcta do tempo.
No ambiente corporativo, precisamos de responder às acitividades rotineiras e também aquelas que surgem inesperadamente, tornando-se desta forma necessária uma gestão do tempo de forma a permitir uma organização e planeamento, inclusive
levando em conta o inesperado.
Uma boa gestão do tempo requer mudança do foco que se dá tanto para as actividades quanto para os resultados. Muitas pessoas associam o “estar ocupado” com produtividade. Na verdade, estar ocupado não é o mesmo que ser eficaz.
Quantas vezes se passa o dia começando diversas tarefas e não concluindo nenhuma? Ou, caso tenha concluído alguma, o profissional sabe que poderia ter feito melhor?
Isso acontece porque estamos acostumados a dividir as nossas atenções com o variado número de tarefas que surgem durante a nossa rotina.
Fazer a gestão do tempo, não significa encontrar maneiras de trabalhar mais, mas sim de fazer o uso correcto do tempo que se tem. É o que chamamos de fazer mais num
número de horas menor.

Delegue tarefas
É comum para a maioria das pessoas acabar por executar mais tarefas do que poderia (ou deveria), causando um stress desnecessário e evitável. Delegue e entenda que ao fazer isso, não estará a fugir das suas obrigações. Aproveite e dê mais responsabilidade aos membros da sua equipa, sempre respeitando as suas habilidades e conhecimentos.
Antes do dia começar faça uma lista das tarefas que precisam de atenção imediata. Lembre-se que as tarefas menos importantes podem consumir mais tempo do que aquelas que exigem uma execução e finalização rápida. Identifique quais tarefas têm que ser terminadas no mesmo dia. Priorize as tarefas e foque naquelas que são mais importantes.