Os trabalhadores da empresa Caminhos-de-Ferro de Luanda (CFL) decidiram, na última terça-feira, em assembleia geral, paralisar parcialmente, a partir da próxima semana (segunda-feira), as suas actividades, pelo facto de não chegarem a um acordo com a entidade patronal. Deste modo, o número de comboios será reduzido de 17 para dois/dia.
Segundo o secretário para a informação da comissão sindical do CFL, Lourenço Contreiras, o Conselho de Administração do CFL não respondeu satisfatoriamente às exigências constantes do caderno reivindicativo, obrigando, assim, aos 950 trabalhadores partirem para uma greve.