O grupo empresarial italiano Cremonini, através da Inalca JBS Spa, especializada na produção, tratamento e distribuição de produtos alimentares, mormente de carne de vaca e derivados, líder neste segmento na Itália e um dos principais da Europa, está a proceder a um estudo de avaliação para a eventualidade de uma futura instalação de matadouros industriais de bovinos em Angola.

Segundo anunciou em Roma o seu administrador delegado, Luigi Pio Scordamaglia, em entrevista exclusiva ao JE, essas estruturas seriam montadas em províncias onde a criação de gado o justifique, com o Kwanza-Norte, a Huíla e o Cunene no topo das prioridades.

“Angola e a Rússia são os dois países mais importantes na estratégia de expansão das actividades do grupo”, disse Scordamaglia, igualmente vice-presidente da Associação da Indústria e Comércio de Carne da Itália (ASSOCARNI). “O mercado angolano é muito dinâmico e tem um crescimento que se pode prever com alguma antecedência”, justificou.

O grupo Cremonin entrou em Angola no princípio da década de 80, com o fornecimento de carne congelada e conservas às forças armadas angolanas. A partir de 1990, começou a montar no país uma estrutura de logística e distribuição, que compreende armazéns de frio e secos, e, até 2004, já tinha investido em Angola 30 milhões de euros (USD cerca de 45 milhões), sem incluir o capital circulante.

O grupo já tem representações nas cidades do Lobito e Malanje. Segundo Scordamaglia, para já a sua aposta é na tecnologia de transformação de carne, de que a Itália é potência europeia. A montagem de matadouros abarcará igualmente, numa primeira fase, acções de ajuda aos criadores, com novas técnicas e modalidades, a fim de que aumentem substancialmente a sua produção de gado, para alimentar a indústria nesse segmento.

Scordamaglia deixou em aberto a possibilidade de o grupo Cremonin vir fazer uma incursão directa no sector da pecuária, com o desenvolvimento da criação de gado. “A nossa estratégia é de crescimento por etapas, ou seja, preferimos começar por fazer uma actividade bem feita, e, depois, avançar para outra”, sublinhou.

Facturação em 2009

Segundo Luigi Pio Scordamaglia, o grupo não foi afectado de forma substancial pela turbulência que sacudiu as finanças e as economias mundiais, a partir de 2008. “A crise representa, para nós, uma importante oportunidade de crescimento”, disse.

O grupo Cremonini, através da Inalca JBS Spa, está presente na Europa e África, sendo que, neste último continente, opera nos Congos Kinshasa e Brazzaville, na Argélia e Angola. Scordamaglia considera o mercado angolano como o mais importante na estratégia de crescimento do grupo no continente africano, estatuto atribuído à Rússia, na Europa.

Quanto à facturação global da Inalca JBS Spa, em 2009, ela foi de USD 1.600 milhões, sendo 227 milhões realizados em África, com a pasição angolana de Luanda a entrar com 105 milhões, e o Lobito com 12 milhões. O resto foi repartido pela República Democrática do Congo (80 milhões), República do Congo (15 milhões) e Argélia (15 milhões).

Scordamaglia prefere não arriscar em números, mas enfatiza que a tendência de crescimento do grupo Cremonini e da Inalca JBS Spa se manterá ao longo de 2010. Acredita que a retoma da economia mundial se processará de forma diferente. Segundo ele, será mais rápida em países como Angola e os Estados Unidos. “Na Europa, o processo será mais lento”, remata.

A empresa e seus negócios

A Inalca JBS Spa é líder em Itália na produção e transformação de carne bovina e está entre os principais operadores no sector industrial na Europa. Foi fundada em 1966, por Luigi Cremonini, que, três anos antes, iniciara a sua actividade no sector de carnes. A localização estratégica das suas instalações de abate no coração de Valle Padana, onde está concentrado 75% do património zootécnico italiano, representa uma significativa vantagem competitiva. A entrada no negócio dos enchidos, em 1976, representou a primeira oportunidade de diversificação neste segmento de negócio. Ao longo dos anos, a empresa foi ganhando espaço no mercado, com aquisições de empresas do sector, o que lhe permitiu consolidar a sua posição de liderança. O ano de 2006 representa um passo mais no processo de consolidação da empresa, quando a Inalca Spa é selecionada pela McDonald’s para produzir e fornecer hambúrgueres na Rússia.

Em Dezembro de 2007, o grupo brasileiro JBS SA, o maior produtor de carne bovina do mundo, e a Cremonini Spa constituiram uma joint-venture, detida a 50% pelas partes e de que resultou, em 2008, a actual Inalca JBS Spa. Nesta joint-venture, a parte brasileira responde pelos mercados da América do Sul, Estados Unidos e Austrália, enquanto a Cremonini Spa, através da Inalca Spa, está presente na Europa e África. A Inalca JBS Spa considera que o desenvolvimento da empresa no sector agro-alimentar deve estar ligado a uma sustentabilidade que não se deve limitar exclusivamente à dinâmica económica de mercado, mas se alargue a factores ambientais e sociais, de modo a assegurar um adequado nível de sustentabilidade às actividades agrícolas primárias e o simultâneo equilíbrio das produções agrícolas com o ambiente circundante. Neste contexto, a promoção e o garante do bem-estar animal representam o principal elemento de toda a actividade produtiva.

Leia mais sobre outros assuntos na edição impressa do Jornal de Economia & Finanças desta semana, já em circulação