O CEO da BMW Harald Krüger de 53 anos anunciou esta semana, que não vai pedir um segundo mandato como líder da companhia. Por outro lado, a companhia não vai buscar liderança fora da empresa e os principais candidatos à vaga são Oliver Zipse do conselho para a produção, e Klaus Fröhlich do conselho para a pesquisa e desenvolvimento.
A próxima reunião do conselho vai discutir quem será o sucessor de Harald. No momento em que começa a adequar-se ao ousado e novo mundo dos carros eléctricos, e do controlo de emissões de gás (cada vez maior na Europa), a BMW perde o seu chefe, na reunião do Conselho Fiscal, realizada a 18 de Junho.
Poucos estranharam com essa notícia, já que Krüger parecia carregar o peso da posição mais profundamente, se comparado a outros pesos-pesados alemães, como Dieter Zetsche, da Daimler, e Herbert Diess, da Volkswagen. De facto, ele caiu no palco durante o Salão de Frankfurt enquanto fazia uma apresentação há quatro anos, e a sua saúde parece frágil desde então.
A BMW confirmou, que a próxima reunião de conselho será usada para discutir um sucessor, que, por sua vez, precisará contar com o apoio da família Quandt, maior accionista do Grupo.
“O Grupo BMW é minha casa profissional há mais de 27 anos”, disse Krüger em comunicado. “Depois de mais de 10 anos no conselho, e mais de quatro deles como CEO, eu quero buscar novos desafios profissionais.”