As “joint-ventures” têm sempre por objectivo a elevação dos lucros e dos rendimentos da empresa, cujas alianças comprometem as partes na partilha de lucros e possiveis prejuizos. “Joint-venture” ou empreendimento conjunto é uma associação de empresas, que pode ser definitiva ou não, com fins lucrativos, para explorar determinados negócios, sem que nenhuma delas perca a sua personalidade jurídica. Ela difere de uma sociedade comercial, porque se relaciona a um único projecto cuja associação é dissolvida automaticamente após o seu término. Por exemplo, um modelo típico desta união seria a transacção entre o proprietário de um terreno de excelente localização e uma empresa de construção civil, interessada em levantar um prédio sobre o local.
Por outro lado, há várias empresas a de diversos sectores da economia que investem nesse tipo de sociedade. As maiores “joint-ventures” no mundo aconteceram nos ramos de tecnologia, automobilistas e alimentares. A expressão é de origem inglesa, que significa a união de duas ou mais empresas já existentes com o objectivo de iniciar ou realizar uma actividade económica comum, por um determinado período de tempo, visando, dentre outras motivações, o lucro. As empresas que se juntam são independentes juridicamente e no processo de criação podem definir se criam uma nova empresa ou se fazem uma associação.

Vantagens da aliança
Na verdade, essa aliança compromete as empresas envolvidas a partilharem a gestão, os lucros, os riscos e os prejuízos, onde são diversas as motivações para a sua constituição. Ela permite às partes envolvidas beneficiarem do “know-how”, conseguindo superar as barreiras em novos mercados, beneficiar de novas tecnologias,  investigar e expandir as actividades que tenham em comum, competir de forma mais eficiente e ampliar mercados com vista à sua internacionalização. O seu objectivo pode ser muito variado, engloba a produção de bens, a prestação de serviços, a procura de novos mercados ou o apoio mútuo em diferentes níveis da cadeia de produção.

Para atingir este objectivo comum, duas ou mais empresas devem fazer um acordo para investir neste negócio comum. Este investimento pode ser constituído de matéria prima, capital, tecnologia, canais de distribuição, vendas, conhecimento do mercado ou “know-how”. Este tipo de aliança não implicará perda de identidade, bem como individualidade de cada pessoa jurídica. Há muitas vantagens que levam as empresas a formarem uma “joint-venture”. Estas vantagens incluem a partilha de custos e riscos dos projectos que estariam além do alcance de uma só empresa.