Ser líder significa ter vocação e talento para resolver problemas.É incrível como as pessoas conhecem o que é liderança, sabem prontamente apontar uma boa liderança ou não . Mas, diante da crise, como é que um bom líder é visto pela sua equipa, parceiros e sócios?
Na prática, ‘ser líder’ é sinónimo de resolver problemas. E para solucioná-los, no campo das decisões, independente de que categoria estas possam se enquadrar (financeira, técnica, social, política, familiar, etc.), um bom líder sabe que no centro de tudo estão as pessoas, que são os seus liderados, seus clientes, seus parceiros, seus fornecedores, seus familiares, enfim, quando a crise é aguda, são essas pessoas que serão afectadas directamente pelas decisões que serão tomadas.
A atitude esperada de um bom líder, diante de qualquer tipo de crise, é enfrentá-la com coragem! Nesta hora, o líder tem que comparecer, mesmo admitindo que não tem todas as respostas e nem tendo todos os recursos .
A sabedoria do líder nasce quando se une a mente (o pensar) e o coração (o sentir) nas suas atitudes. Fugir, ignorar, agredir, terceirizar culpas são atitudes de líderes “desesperadores”. Diante da crise, o que as pessoas precisam são líderes “inspiradores”, que mobilizam os liderados para enfrentar os problemas.
Nesse momento, deve-se convocar e liberar a criatividade das pessoas. A comunicação tem que ser clara, transparente, directa e sem rodeios, para que todos os envolvidos saibam da situação e possam ser convocados para encontrar as soluções urgentes, práticas e viáveis.
O líder inspirador e consciente deve estar presente de corpo e alma, atento a todos os detalhes, aberto a ouvir a opinião das pessoas, buscar a sabedoria delas de dentro e de fora, comandar com pulso firme tudo que pode agravar a crise (contenção de gastos; gestão do fluxo de caixa, manobras de resistência e sabotagens, perda de credibilidade ou reputação, dentre outros riscos) e gerir os processos de mudança, de ajuste e de inovação.
Se o líder se mostrar confiável, se o seu propósito for nobre, digno de ser alcançado, tenha certeza que a equipa se solidariza. As pessoas dão o melhor de si, quando o líder é autêntico, determinado, coerente, transparente, empático, humilde para aprender e a reciclar-se nos momentos agudos de uma crise, administrando as suas emoções e demonstrando que os seus valores
essenciais são inegociáveis.
Do outro lado, vemos trabalhadores reunidos em grupos por toda empresa fazendo comentários e espalhando o boato. Todos torcem as mãos, cheios de ansiedade em relação aos colaboradores que serão sacrificados. Ficam obcecados pelo próprio emprego. Normalmente o pânico atinge tais proporções, que o trabalho em si fica paralisado.
Para os líderes, as crises geralmente surgem como as experiências mais dolorosas e desafiadoras da sua vida profissional. As crises geram dias