Em tempos de pós-capitalismo e novas regras nos negócios, o que um roqueiro do século passado pode nos ensinar? Segundo os autores (e irmãos) catarinenses Jamil e Joilson Albuquerque, muita coisa. Há cerca de sete anos, quando observaram o cinquentenário (de carreira) de Mick Jagger, os irmãos viram que dava para tirar muitas lições dessa trajectória.
“Ele comemorava 50 anos de carreira, e eu não tinha isso de vida ainda. Hoje, aos 75 anos, ele encara shows de quase três horas, o que faria qualquer outro na mesma condição sair do local de maca”, conta Jamil, que logo no começo da ideia já encarou um desafio: “Mas o que escrever sobre Mick? Ele é o segundo artista mais biografado do mundo!”, observou. E foi aí que veio o pulo do gato: misturar a trajectória do roqueiro com os ensinamentos do autor de negócios mais lido do mundo para falar sobre liderança.
“Napoleon Hill é o autor de “Quem Pensa Enriquece”, o livro do universo dos negócios mais lido de todos os tempos. Ele passou 20 anos a pesquisar o comportamento de pessoas ricas e bem-sucedidas e criou um mapa com 16 comportamentos que, independentemente do contexto, surtem efeito. Então, criou-se toda uma metodologia para botar esses comportamentos em prática. Misturamos esse universo ao de Mick para o nosso livro, “Como Um Rolling Stone – Entenda a Liderança Eficaz de Mick Jagger”.
Pedimos para Jamil listar 8 dicas de liderança de Mick Jagger, veja abaixo:
1 – Tenha um propósito: A definição de propósito é “o início de todas as realizações” e quer dizer “protecção para o futuro”. Quem tem propósito realiza mais na vida, sabe o que quer. Uma empresa com propósito tem mais segurança. Há uma razão de existir. “Queria tornar o mundo melhor com a música” é uma fala de Mick Jagger que representa o seu propósito;
2 – Saiba dividir o propósito em objectivos enxergáveis: O propósito é um sonho. Já o objectivo é alcançável. Desde o início, Mick planeou lançamentos de tournes a cada dois anos, por exemplo: um ano de viagens e um ano de criação, gravação e descanso. Os objectivos precisam ser práticos. A longo prazo, Mick queria ser parte da banda mais longeva do planeta e está a conseguir;
3 – Tenha confiança em si mesmo: A autoconfiança desperta uma paixão interior por viver e a pessoa consegue lidar com seus medos, ter resistência emocional. Mick tem um jeito muito seguro de ser e envelhece muito bem em vários aspectos, do físico ao artístico/criativo, o que é um desafio muito grande para muitos artistas. Ele já disse em uma entrevista: “As minhas rugas, eu as conquistei”.
É o espetáculo da velhice;
4 – Saiba lidar com pessoas: Mick nunca desistiu das pessoas. Numa oportunidade, apanhou do baterista Charlie Watts faltando três horas para um show. Qualquer um abandonaria a banda. Ele teria problema em montar outro grupo? Não. Precisava do dinheiro? Não mais. Ele ainda lidou com dois grandes junkies, Ron Wood e Keith Richards. Todos achavam que eles iam morrer a qualquer momento. “Tudo isso só existe por causa de Mick Jagger, que nunca desistiu de nós”, já disse Keith uma vez;
5 – Faça mais do que o combinado: Mick sempre quer surpreender, nunca lança um disco sem ter músicas novas. Muito artista vive só do histórico, ele se preocupa com o novo. “Temos de superar a expectativa do fã”, disse certa vez;
6 – Saiba lidar com dinheiro: O artista geralmente não sabe lidar com o dinheiro, tem problemas sérios com administração. E, de um modo geral, todas as pessoas têm o mesmo desafio. Em 1972, os Rolling Stones faliram e estavam com problemas em relação ao fisco britânico. Mick montou um projecto arrojado para todos se mudarem da Inglaterra para a França e lá fizeram um álbum fenomenal, “Exile on Main St”. Todos pensaram na falência, mas ele teve maturidade para resolver o problema, que acabou sendo o grande ponto de virada da carreira da banda;
7 – Saiba lidar com os obstáculos: Em qualquer carreira, existem desafios e até fracassos. Mas é importante saber encará-los. Quando morreu Brian Jones, o primeiro guitarrista da banda, por exemplo, foi um choque. Mas Mick manteve o grupo unido;
8 – Saiba fazer da insatisfação um ponto de criação: Todos temos angústias. Mick já cantou sobre a insatisfação (“[I Can’t Get No] Satisfaction”), sobre não conseguir o que se deseja (“You Can’t Always Get What You Want”)… ou seja, mostrou que o importante é estar em movimento.