As províncias de Luanda, Cuanza Norte e Sul têm novos governadores, desde a última quarta-feira. Sérgio Luther Rescova, Adriano Mendes de Carvalho e Job Restelo Capapinha, por essa ordem, assumem a missão de dar em ano novo um novo rumo às províncias para as quais são indicados.
Na mensagem de twitter no fim de ano, o Presidente João Lourenço apelou à valorização do trabalho digno como parte da reconquista da grandeza dos valores sócio-culturais.

Luanda
O Presidente João Lourenço confiou a espinhosa missão de governar Luanda ao jovem Ségio Luther Rescova Joaquim. O sinal de confiança na juventude está claramente manifesto.
Aos 38 anos, Luther Rescova, ainda secretário nacional do braço juvenil do partido do Governo, assume a capital para fazê-la jovem de imagem, de atitude e governabilidade.
A reposição plena da ordem pública, melhoria do comércio ambulante e gestão dos resíduos, são entre os mais visíveis de uma capital a aguardar por novos ventos.
O governador Sérgio Luther Rescova encontra um dossier sobre a mesa e que, mesmo após aprovado pela Comissão Económica do Conselho de Ministros, ainda é encarado com muitos receios.
O documento apresenta uma abordagem histórica dos modelos usados no passado recente na capital do país, uma incursão sobre os modelos utilizados pelo mundo fora, avaliação dos aspectos positivos e negativos do actual modelo, bem como as propostas de correcção e o sistema de sustentação económica a adoptar para o novo modelo.
A implementação do novo modelo vai ser gradual e a recolha de lixo será feita de noite. Serão definidos dias e horas para a recolha de cada tipo de lixo (orgânico e selectivo). A implementação do novo modelo de recolha de lixo em Luanda vai levar cerca de 12 meses, mas deve ser antecedida de uma fase de mobilização e de sensibilização da população. Actualmente, recolhe-se com comparticipação dos cidadãos pouco menos de 100 milhões de kwanzas.

Cuanza Norte
Adriano Mendes de Carvalho deixou um cheirinho de força em Luanda e leva, quiça, a mesma energia para o palácio de Ndalatando a sede do município de Cazengo.
Sobre Adriano Mendes de Carvalho pesa a expectativa de o Cuanza Norte, em 2019, ser a província com a maior fatia do Orçamento Geral do Estado dedicado às províncias, pois só perde para Luanda.
Na terra da Eka, do algodão e do sisal, Adriano Mendes de Carvalho, que já foi administrador do vizinho município de Icolo e Bengo, da circunscrição de Luanda, fica com a responsabilidade de atender aos anseios da população local. Governação participativa e que ouve os cidadãos vai ser crucial para que se resolvam os problemas prioritários.
Da cidade jardim, são boas as notícias que vêm por esses dias, mas fazer melhor é o desafio que o Presidente João Lourenço confiou ao novo governador do Cuanza Norte.

Cuanza Sul
Job Restelo Capapinha é também um rosto e nome conhecido nas lides da governação. Passou por Luanda e a si é confiada, por agora, a tarefa de devolver ao Cunza Sul o orgulho de província litoresca, com forte potencial turístico e agrícola que a mesma ostenta.
As manifestações de alegria que correm por aquelas paragens são sinais de que já se aguardava pela chegada do novo inquilino do palácio da marginal do Sumbe, mas está subjacente a idéia de que é proibido falhar nessa missão.
O Sumbe está esburacado. A ligação entre os municípios faz-se com dificuldade e as Cachoeiras do Binga são ainda locais turísticos com pouco aproveitamento.
A província tem potencial para elevar a sua contribuição na arrecadação fiscal, mas de Porto Amboim ao Sumbe, os efeitos do crescimento de empreendimentos hoteleiros são cada vez menos sentidos. os preços afugentam e perdem para casas particulares que já começam a abrir-se para alojamentos.
É sob Job Capapinha que recaem as esperanças dos naturais e amigos da província. Aliás, nas redes sociais, as manifestações de confiança de uns e desconfiança de outros mostram que há vontade de fazer-se melhor.
O Cuanza Sul tem potencial para ser referência nacional no turismo e na agro-pecuária.