O Governo está a estudar a possibilidade de orçamentar cinco parques nacionais, incluindo o de Cameia, na província do Moxico, anunciou a ministra do Ambiente, Paula Francisco Coelho.
A governante falava no fim da visita efectuada pela delegação ministerial em resposta ao grito de socorro feito pelas autoridades locais devido a progressão das ravinas que ameaçam destruir alguns empreendimentos sociais da cidade do Luena.
Paula Francisco Coelho disse que a intenção é alavancar o desenvolvimento dos parques nacionais e garantir uma gestão
activa dos recursos existentes.
Angola dispõe dos parques nacionais da Cangandala, Iona, Cameia, Mavinga, Luengue-Luiana, Mupa e da Kissama.
Com 14.450 metros quadrados, o parque nacional da Cameia vai beneficiar de uma visita de técnicos do ministério de tutela para se ver questões salariais, uniformes, entre outros meios para a comodidade dos fiscais.
Disse que o Ministério do Ambiente prevê, igualmente, fazer medições para se colocar novos postos de fiscalização no parque que foi definido como reserva de caça em 1937 e transformado em reserva animal em 1957.
Apontou que especialistas do ministério têm realizado digressões nos parques, acompanhados de empresários nacionais e estrangeiros, para atrair possíveis investidores nestas áreas de conservação do país.

Combate as ravinas


Quanto a intervenção nas ravinas que evoluem um pouco por todo o país, a ministra disse ser necessária uma grande engenharia, sem descurar a existência da força humana e vontade da população.
Explicou que o Ministério do Ambiente apresentou ao governo do Moxico as premissas genéricas da convenção do combate à desertificação para que a província possa tomar conhecimento de algumas
orientações sobre estas acções.