O Executivo, mentor do plano, realça que a produção alimentar merece atenção do sector público e privado com vista a proporcionar melhor qualidade de vida

O desafio de aumentar-se a produção de alimentos no país será vencido com o contributo dos empreendedores do sector agro-pecuário e das associações de camponeses que apostam na mecanização da agricultura, sustentou o secretário de Estado da Agricultura, Amaro Tati, em declarações à imprensa, após ter inaugurado a 5ª edição da feira Alimentícia.

O governante, que acredita nas potencialidades de Angola para produzir alimentos suficientes para o abastaceimento do mercado interno e a exportação, reafirmou que o Executivo tem apostado no fomento da actividade agro-pecuária, tendo em vista o aumento da produção de alimentos e a diversificação da economia.

Amaro Tati, que esteve ladeado pelo secretário de Estado do Desenvolvimento Rural e das Florestas de Portugal, Rui Barreiro, incentivou o estreitamento de contactos e a criação de parcerias entre empresários angolanos e portugueses, fundamentalmente no sector agrário.

O Executivo, revelou o governante, vai materializar um programa detalhado de desenvolvimento agrícola, cujas linhas orientadoras estão centradas na produção, industrialização e comercialização dos produtos agrícolas. Entre os objectivos da elaboração deste programa está o combate aos problemas de segurança alimentar, à falta de produção, além da melhoria das práticas de escoamento dos produtos para os centros de consumo.

Segundo disse, o programa prevê a organização do sector agrícola. Além disso, segundo disse, os produtos agrícolas são perecíveis e devem ser transformados para durarem mais tempo antes de serem comercializados.

Leia mais sobre este e outros assuntos de actualidade na edição impressa do Jornal de Economia & Finanças desta semana, já em circulação