Município de Sambizanga ganha 91 apartamentos para classe média num investimento de 100 milhões de dólares

Oito edifícios residenciais estão a ser erguidos no município do Sambizanga, zona da Petrangol, em Luanda. Denominado projecto “Vila Nova”, é propriedade do grupo de direito angolano SAAL. O mesmo integra 91 apartamentos de tipologias T2, T3 e T4, de três andares cada destinados à classe de rendimento médio.

Para a execução desta empreitada, a cargo da construtora chinesa Chaong Construtor, o grupo investiu 100 milhões de dólares, numa área total de 120 mil metros quadrados. A sua conclusão está prevista para finais de 2012.

Conforme apurou o JE, dos oito edifícios, três vão servir para a actividade comercial e escritórios, enquanto os outros cincos destinam-se na sua totalidade para moradias. Cada um dos apartamentos residenciais está equipado com duas salas, uma cozinha americana (já equipada com todos os aparelhos), lavandaria, três casas de banhos, varanda e estacionamento privativo para moradores.

Segundo o director do projecto, Alves Guitarra, este empreendimento enquadra-se no programa do Governo de construir moradias, destinadas á classe média, como forma degarantir melhores condições de habitabilidade.

"Este projecto é autónomo na gestão dos projectos de água, luz e resíduos sólidos. Todos os edificios estão equipados com elevadores, além das escadas e nos apartamentos residenciais um dos quartos é totalmente mobilado", explica.

O projecto permitiu ainda a criação de 360 novos postos de trabalho directo, além de outros tantos indirectos que resultam da subcontratação de prestadores de serviços para determinadas fases da empreitada.

Setenta por cento (70%) do material utilizado pela empresa na execução das suas obras provém do mercado internacional com destaque a China, Portugal e África do Sul, e os restantes trinta porcentos (30%) é adquirido no mercado interno.

Segundo explicou Alves Guitarra os imóveis estão a ser comercializados ao preço que varia entre os 380 a 500 mil dólares (USD), sendo que até ao momento, cerca de 60 por cento dos apartamentos já foram vendidos.

Outros projectos

Na província do Namibe, o grupo vai empreender, a partir dos próximos meses, a construção de um imponente projecto turístico avaliado em 60 milhões de dólares. O imobiliário terá edifícios multiusos, integrados por restaurantes e vivendas.

O responsável avançou já que para a construção deste projecto inicia em Janeiro do próximo ano e termina em finais de 2014.

"O nosso mercado é vasto e com uma grande expansão de trabalhos de infra-estruturas por erguer", explicou.

Este ambiente do mercado e o volume de empreitadas da empresa permitiu á construtora, só no ano passado, o alcance de uma facturação de 220 milhões de dólares. Estes resultados permitiram a empresa reinvestir cerca de 13 milhões de dólares na aquisição de novos equipamentos.

A fonte anunciou também que o grupo tem em carteira, ainda no Namibe, um outro projecto integrado por 10 mil casas sociais para jovens. O empreendimento será erguido no início de 2012 e preve-se um período de duração de quatro anos.

O grupo SAAL tem o seu estaleiro central na província de Luanda e explora vários outros ramos de actividades, com maior incidência para os de engenharia, construção, imobiliários e indústria.

Leia mais sobre esta e outras notícias na edição impressa do Jornal de Economia & Finanças desta semana, já em circulação