Sentimento de ira no local de trabalho é frequente e muitas vezes causa conflitos violentos entre colaboradores. Isso emociona qualquer pessoa e muitas vezes a intervenção de psicólogos pode tornar-se um desafio ainda maior para as organizações. Mas raiva é algo que todos sentimos.
Veja três dicas para lidar com a raiva no trabalho de uma forma saudável e produtiva:
1. Reconheça e aceite que está com raiva: Reconheça facilmente que está triste, frustrado, desapontado ou chateado, mas nunca se irrite. Pode haver um significado cultural de género para este padrão, já que é mais socialmente aceitável para os homens esbravejarem do que para as mulheres. Kershenstine afirma que “a falta de aceitação cultural em torno da raiva das mulheres pode fazer com que elas se aconstumem a guardar esse sentimento”.
Ter noção da sua raiva sobre a situação permite escapar da armadilha da dúvida e esforçar para fazer uma escolha diferente e mais consciente;
2. Permita-se realmente sentir raiva: Depois de se perceber que está bravo, desabafe com alguém e tenta mudar a sua visão para uma perspectiva positiva, por ser essencial para suprimir a raiva.
Este pode ter sido um argumento racional para tentar acabar com a minha raiva. Não importa se seus sentimentos são razoáveis ou racionais. O que importa é que eles estão lá. Estes sentimentos são muito poderosos para permanecer pacificamente guardados;
3. Faça estratégias sobre como proceder: Depois que a raiva diminuiu naturalmente, fique mais à vontade. No passado, os sentimentos de estresse, dúvida ou frustração teriam se prolongado. A raiva ainda é uma nova emoção e quase não se nota quando ela ataca. Reflicta sobre o seu relacionamento com a raiva ou sobre qualquer emoção que possa ser difícil de explorar, considere quais são os seus padrões e o que seria necessário para passar pela emoção naquele momento.