A Transportadora Aérea Nacional TAAG liderou a lista de reclamações recebidas pelo Instituto Nacional de Defesa do Consumidor (Inadec), na província da Huíla, em 2018, ao acumular um total de 11 das 180 registadas.
As reclamações estão ligadas a 119 estabelecimentos comerciais e empresas de prestação de serviço. Comparativamente ao período homólogo de 2017, o Inadec registou um aumento de 40 reclamações.
Em declarações esta semana à Angop, na cidade do Lubango, a directora provincial do Inadec, Bárbara Coutinho, afirmou que as reclamações relacionadas à Taag consistem em voos cancelados sem aviso prévio aos clientes e o não reembolso dos valores de bilhetes aos utentes.
A seguir às reclamações da Taag, o instituto recebeu queixas de clientes da empresa de telefonia móvel Movicel, com oito queixas, os super mercados Shoprite (sete) e Kero (seis) e a Empresa Nacional de Distribuição de Electricidade (ENDE) (cinco), relacionadas com a prestação de serviços deficientes.
Do global de reclamações, Bárbara Coutinho realçou que 146 foram mediadas com sucesso, 21 têm as suas mediações em curso, oito foram encaminhadas à Procuradoria Geral da República local e três não foram tratadas por não se enquadrarem nas relações de consumo.
Durante o período, o Inadec realizou 255 visitas de constatação, registou 368 infracções, com 25 mandatos de multas por violação ao direito do consumidor, cujo valor arrecadado foi de três milhões 577 mil 323 de kwanzas.
Formou ainda 53 manipuladores de alimentos de 27 empresas no município do Lubango em higiene e segurança alimentar, bem como vendeu 927 livros de reclamações e 928 selos.