O secretário de Estado para as Indústrias Criativas, João Constantino, defendeu esta semana, em Luanda, a necessidade de se promover o investimento da economia angolana por via do turismo cultural, investigação científica e produção artística.
O responsável, que falava durante um workshop de reflexão sobre os 400 anos da chegada dos angolanos à América do Norte (1619-2019), no âmbito da rota dos escravos, afirmou que se deve alavancar o turismo cultural como forma de se potenciar a história do país.
Para João Constantino, pesquisadores e instituições académicas devem reflectir sobre a História de Angola, usando os dados e registos constantes nos arquivos, para se ter uma noção do número e do papel dos angolanos levados como escravos.