Mais de trezentos académicos, líderes da indústria energética mundial, técnicos do sector de petróleo e gás, e ministros dos países membros da OPEP participam desde a manhã desta quarta-feira, em Viena (Áustria), do IV Seminário Internacional da Organização dos Países Exportadores de Petróleo, para avaliar a actual situação do mercado internacional do crude.

Durante dois dias do seminário, que decorre sob o lema "Petróleo: Estabilidade e Sustentabilidade Futura", os participantes vão, entre outros temas, debruçar-se sobre o Futuro Cenário da Energia, o Petróleo e o Mercado Financeiro e a Tecnologia, e a Protecção do Investimento, visando analisar iniciativas globais no sector energético, o impacto no ciclo da economia global no mercado petrolífero e os desafios enfrentados pelos produtores e consumidores e as suas implicações no sector.

A crise financeira, a recessão económica global e a especificidade das políticas de resposta, bem como o desenvolvimento no mercado financeiro do petróleo e a interacção com o mercado físico merecerão também a atenção dos participantes.

O ministro angolano dos Petróleos e presidente da OPEP, José Maria Botelho de Vasconcelos, proferiu o discurso de abertura do evento que, congregando distintas individualidades de várias nacionalidades, vai procurar encontrar mecanismos para a estabilização do mercado do crude.

Fazendo referência ao lema da conferência, o presidente da OPEP enfatizou que ele foi escolhido para permitir "debruçarmo-nos sobre um dos mais preocupantes e complexos desafios que actualmente enfrenta a Indústria do Petróleo e a Economia Global".

Segundo o Presidente do Cartel, a crise económica e financeira, que enfrenta a economia mundial, está a afectar com maior incidência na indústria energética e o mercado petrolífero em particular. "Isso levou à redução da procura do crude e também à queda do preço do petróleo. As implicações desta situação para a futura estabilidade e sustentabilidade da sua indústria será devidamente examinada nestes dois dias".

Este seminário ocorre dois dias após a realização da centésima quinquagésima segunda (152ª) reunião da conferência ministerial da OPEP que reiterou o seu compromisso de estabilizar o mercado, assegurando um abastecimento regular de petróleo para os consumidores ao preço justo, não só para a economia mundial, para os consumidores, mas também para garantir um adequado abastecimento futuro.

No âmbito deste seminário internacional da OPEP, está patente, hoje e quinta-feira, uma exposição onde Angola apresenta as suas potencialidades económicas, turísticas e sociais.

Ainda de acordo o programa do seminário, terá lugar esta noite um jantar de gala onde pelo menos 700 pessoas terão a oportunidade de ver a actuar os músicos angolanos Matias Damasio e Yola Semedo, convidados especialmente para o efeito.