O Centro Integrado de Formação Tecnológica (Cinfotec) registou com satisfação um índice de empregabilidade em torno dos 85 por cento que permitiu empregar ou estágio num universo de 12.205 cidadãos formados desde 2008 nas unidades académicas de Talatona e Rangel, em Luanda.
Em 2017 foi possível certificar pelo menos 1.910 indivíduos no Cinfotec em Talatona e 352 no Rangel, totalizando 2.262, sendo maioritariamente formados nos cursos de curta duração designados de aperfeiçoamento nas áreas de mecânica de manutenção industrial, soldadura, telecomunicações, mecatrónica automóvel entre outros.
Os dados foram avançados pelo Secretário de Estado da Administração Pública, António Francisco Afonso durante a cerimónia de encerramento do ano formativo 2017. O governante espera que as demais empresas que manifestaram o interesse na contratação dos jovens consigam manter o compromisso do recrutamento da crise financeira.

Cinfotec no Huambo
Por seu turno, o director-geral do Cinfotec, Gilberto Figueira revelou que está a ser erguido igualmente na província do Huambo um Centro Integrado de Formação Tecnologia a ser inaugurado próximo ano, afim de cobrir as necessidades de formação na área tecnológica na região.
Em entrevista do JE o gestor avançou que o ano de 2017 foi positivo, apesar de o centro atingir apenas 60 por cento das metas previstas para 2017, e conseguimos atender às empresas que investem cada vez mais na
capacitação técnica dos seus colaboradores.
Explicou ainda que os jovens formados nos cursos de mecatrónica automóvel foram todos empregados, na sua maioria em Luanda, pelo que não foi possível atender os pedidos das empresas das províncias de Malanje, Huambo, Huíla e Benguela.
“Este ano 20 empresas solicitaram os nossos serviços de formação nas áreas de mecânica, manutenção, electricidade, automação e instrumentação, hidráulica, higiene, saúde e segurança no trabalho, controlo de qualidade e soldadura”, acrescentou.
Gilberto Figueira sublinhou que em 2018 o centro pretende consolidar a parceria com as firmas nacionais e estrangeiras uma vez que há um aumento da capacidade formativa em função da unidade de formação do Rangel que vai ministrar os cursos nas áreas de transporte, frio industrial edoméstico, logística e energia renovável.
Assegurou que o centro dispõe de laboratórios e um quadro docente capaz e com qualidade para dar resposta às necessidades do mercado no domínio da formação tecnológica. “Pensamos que temos sido a opção certa para aquilo que são as necessidades das empresas e dos particulares o que aumenta a nossa responsabilidade no sentido no reforço da grelha de cursos”, disse.

Papel do Supervisor de Recursos Humanos
é ignorado por muitas organizações modernas
O supervisor de recursos humanos é o profissional responsável por supervisionar as actividades da área de recursos humanos, que envolvem o recrutamento e a selecção, administração salarial, treinamento, folha de pagamento, benefícios, registos e outros.
Um supervisor planea e supervisiona as actividades da área de recursos humanos, mas essa função tem sido ignorada por muitas organizações, sobretudo no que toca ao recrutamento, desenvolvimento e treinamento e motivação dos colaboradores para o seu crescimento.
Está sob as responsabilidades deste profissional supervisionar o planeamento, a organização, gestão e controla das funções do RH nas organizações e a sua fução se estende até à política de cargos e salários, avaliação de desempenho, clima organizacional, administração de pessoal, segurança e medicina ocupacional e controlar os serviços prestados por terceiros, contratos de temporários e prestação de serviço.
Por outro lado, ele serve para desenvolver e participar de pesquisas salariais, coordenar a elaboração e manutenção de planos de cargos e salários, acompanhar os programas de treinamento, responder por todas as actividades de administração de pessoal, benefícios e remuneração e pela supervisão das actividades terceirizadas.
Para que o profissional tenha um bom desempenho como Supervisor de Recursos Humanos além da formação é essencial que possua habilidades com actividades pertinentes a legislação laboral e uma estreita relação com o sindicato e a área Jurídica da empresa é uma mais-valia.