O ministro dos Transportes, Augusto da Silva Tomás, apelou  ontem, em Luanda, a valorização do capital humano de uma empresa enquanto estratégia central para o seu crescimento.
O titular dos Transportes falava na abertura do terceiro “Encontro de Quadros do CFL”, empresa do Caminho de Ferro de Luanda.
Segundo avançou o ministro, a formação das pessoas e a preocupação pela  segurança são, no nosso país, aspectos que ainda são considerados num segundo plano de apostas em muitas organizações e instituições. Por isso, o CFL deve continuar a apostar na valorização e formação dos quadros e na segurança ferroviária.
Augusto da Silva Tomás afirmou que o CFL e todas as empresas têm de procurar soluções para o seu equilíbrio económico e financeiro, na medida em que esse é um objectivo universal de todas as organizações  que vendem um produto ou prestam um serviço num determinado mercado.
O ministro dos Transportes chamou a atenção para a necessidade de se implementarem com profissionalismo e qualidade as segunda e terceira fase da reforma dos caminhos-de-ferro no CFL. Para o ministro, é uma oportunidade para melhorar a rentabilidade da empresa e garantir o seu futuro.  
Dirigindo-se aos trabalhadores do CFL, o presidente do Conselho de Admnistração Celso Rosas, “aproveitou” o encontro de Quadros para dar a conhecer aos trabalhadores e convidados o perfil  do novo secretário de Estado do subsector ferroviário, José Manuel Cerqueira.
O terceiro encontro de Quadros do CFL está, entre outros temas, a discutir o planeamento ferroviário, os deesafios na via - meios circulantes e exploração, assim como a formação e segurança ferroviária.
O encontro, que termina nesta sexta-feira, foi aberto pelo ministro dos Transportes, Augusto da Silva Tomás, na presença do Secretário de Estado do subsector ferroviário, José Manuel Cerqueira.