A boa árvore dá bons frutos”, é o lema da Universidade Privada de Angola (UPRA), que celebrou a 17 de Abril último, o seu décimo nono aniversário com a realização de várias actividades, entre as quais uma conferência sobre os “Caminhos da Paz”, proferida pelo professor doutor Justino Ramos da Glória, Tenente-general.
Além deste evento, a Upra, o primeiro projecto de ensino superior angolano 100 por cento privado nos vários domínios do saber, a investigação científica, a pós-graduação, a extensão universitária apoiando directamente a sociedade e o pioneiro na oferta de vários cursos entre os quais Comunicação Social, Turismo e Gestão Hoteleira, Relações Internacionais, Odontologia, realizou uma feira de gastronomia com a exposição de pratos típicos das várias zonas de Angola, feira do livro e exposição de fotos - história da Upra - que decorrerão até ao final do mês de Abril, além da exibição de filmes, torneio de futebol, recolha de donativos a favor do Centro de Saúde da Nossa Senhora da Boa Vida.
A Universidade já formou mais de 5 mil técnicos superiores nos cursos que administra, incluindo arquitectura e contabilidade. O reitor da instituição Carlos Pinto de Sousa, então bastonário da Ordem dos Médicos de Angola, disse que a Upra vai continuar a contribuir para a formação de quadros angolanos a nível do ensino superior, constituindo um desafio do sector, razão pela qual vai continuar a trabalhar para o sucesso desta missão. Por outro assegurou que enquanto agentes do desenvolvimento, as instituições de ensino superior devem alimentar o debate público sobre as grandes questões e os desafios inerentes ao desenvolvimento social e à afirmação do país no contexto das Nações.
Para o magnífico Reitor na Universidade Privada de Angola, a instituição procura influenciar, orientar, capacitar, homens e mulheres, com forte sentido de cidadania, comprometidos com os valores éticos, sociais, culturais, profissionais, fundamentais para responder a tempo certo aos problemas da sociedade, através de um modelo de ensino-aprendizagem integral que envolve o ensino, pesquisa e a extensão universitárias.
“O trabalho por nós desenvolvido tem permitido o alcance de resultados bastante satisfatórios, que podem ser comprovados pelas posições que estudantes ali formados têm ocupado em instituições públicas, privadas, ONG e até mesmo por conta própria”, afirmou.
A instituição de ensino superior privada implantada nas cidades de Luanda, Cabinda e Lubango foi fundada em 2000. Constam como desafios a construção do Centro Policlínico Universitário, o Projecto de Reordenamento da comuna do Dande; a oferta de cursos de Extensão Universitária voltado à agregação pedagógica; a construção de mais laboratórios e o reforço de parcerias nacionais e internacionais como garantia da realização de estágios curriculares.