Jornal de Economia e Finanças

Director: Agostinho Chitata
Director-Adjunto: Mateus Cavumbo

InícioGlossário Económico

Glossário Económico

a b c d e f g h i j k l m n o p q r s t u v w x y z

ECONOMIA

Ciência que estuda a forma como as sociedades utilizam os seus recursos escassos e a sua distribuição entre os indivíduos.

EMPREGO

Designa a utilização do factor produtivo (trabalho).

EFICIÊNCIA

Capacidade para produzir realmente um efeito.

EBITDA

Indicador de eficiência operacional da empresa. A sigla significa lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (ernings before interest, taxes, depreciation and amortization, em inglês) e a sua versão em português é Lajida. O Ebitda mostra o resultado da empresa eliminando-se o efeito dos empréstimos, impostos (em geral sobre a renda) e depreciação dos activos.

ECONOMIAS DE ESCALA

Redução de custos unitários decorrente de um aumento no volume (escala) de produção, seja de uma empresa, sector, região ou país.

ECONOMIAS EXTERNAS

Também conhecida como Externalidade, são benefícios obtidos por empresas que se formam (ou já existentes), em decorrência da implantação de um serviço público (energia elétrica, p.e.) ou de uma indústria, proporcionando vantagens antes inexistentes. Por exemplo, a construção de uma rodovia pode permitir aos produtores agrícolas da região acesso mais rápido aos mercados consumidores. A existência de economias externas permite, em geral, uma redução de custos para as empresas e significa uma importante alavanca do desenvolvimento econômico.

EFICIÊNCIA

Conceito definido, em administração, pela relação entre o insumo (recursos e esforços) e o produto (resultados), sendo maior ou menor na proporção do melhor ou pior rendimento dos insumos.

EMPRESAS DE CAPITALIZAÇÃO

Instituições financeiras que oferecem ao público um tipo de poupança --os títulos de capitalização --mediante cuja aquisição se assume o pagamento de pequenas parcelas mensais. O reembolso do capital é geralmente feito após períodos superiores a dez anos; então, o portador do título recebe a quantia estabelecida, acrescida de juros . Esses rendimentos costumam ser inferiores aos pagos pelas cadernetas de poupança, mas os portadores de títulos de capitalização concorrem mensalmente a prêmio em dinheiro.

EMPRESA ESTATAL

Empresa do Governo, que possui o controle de todas as suas acções.

EMPRESA MULTINACIONAL

É aquela organização que actua em diversas nações, simultaneamente.

EMPRESA PRIVADA

O capital social que as constitui é de origem privada ou particular. Consequentemente, assim será a sua administração e gerência, arcando estes particulares com os seus direitos e deveres. As empresas privadas podem aparecer sob a forma individual ou de sociedades.

EMPRÉSTIMO

Quantidade em dinheiro cedida por uma pessoa a outra, ou por uma entidade, pública ou privada, a um indivíduo, ou a uma empresa ou mesmo a um governo, sob o compromisso de devolução ao fim de determinado período, mediante o pagamento de juro (remuneração adicional sobre valor original do empréstimo).

EMPRESA SUBSIDIÁRIA (Vinculada ou controlada).

Empresa cujo capital, na sua maior parte,  pertence a outra empresa.

ESTABILIZAÇÃO

Geralmente o termo vem associado a políticas monetárias adoptadas por bancos centrais, para reduzir ou limitar as flutuações de uma moeda nacional nos mercados financeiros internacionais, comprando ou vendendo reservas de, ou para, outros bancos centrais. Quando um banco central intervém no open market para vender as suas reservas, o valor dessa moeda nacional tende a cair ou, na melhor das hipóteses, permanecer o mesmo. No entanto, um banco central pode intervir também para evitar que o valor de uma outra moeda diminua no mercado internacional. O termo estabilização também se aplica a políticas de ajuste que os países do Terceiro Mundo realizaram durante os anos 80, em função da crise ocasionada pelo seu elevado endividamento externo. Esses planos de ajuste foram quase sempre acompanhados por intensos processos inflaccionários e, nesses casos, a estabilização significou não apenas intervenções dos bancos centrais no âmbito da política monetária, mas também nos planos fiscal, cambial e administrativo.

ESTAGNAÇÃO

Fase de parada do crescimento. A estagnação pode ser compreendida como um factor resultante da demanda em particular (investimento, exportação, consumo, etc.), ou da actividade econômica em geral, e, portanto, da produção.

ESTAGFLAÇÃO

Situação econômica caracterizada pela conjunção de uma tendência a estagnação ou recessão seguida de inflacção.

EURO

Denominação da moeda única da União Européia adoptada a partir de 1º de janeiro 1999. Circulou até 2002 somente em operações financeiras e em transações cambiais que não exijam papel-moeda. O Euro em papel-moeda circula a partir de 2002.

EXIMBANK (EXPORT-IMPORT BANK OF THE USA)

O Eximbank funciona como uma agência governamental americana independente, tendo como objectivo facilitar o financiamento de exportações de produtos e serviços americanos, por meio da absorção de riscos de crédito que estão fora do alcance do sector de bancos privados. Todas as obrigações do Eximbank são garantidas por total confiabilidade e crédito do governo dos Estados Unidos. Os programas são oferecidos em três amplas categorias de financiamento de crédito de exportação: Seguro de Crédito para Exportação; Garantias de Empréstimo e Financiamento de Projectos de Recurso Limitado. De acordo com os programas de Seguro e Garantia do Eximbank, pelo menos 50% dos produtos a serem exportados devem ser produzidos nos EUA. Para financiamentos a médio prazo, o Eximbank segurará até 100% dos produtos com conteúdo americano, mas nunca mais de 85% do valor do contrato americano. Exige-se do comprador um pagamento inicial, a título de antecipação, correspondente a 15% do total.

EXPECTATIVAS

Conceito usado por Keynes para designar o grau de incerteza em relação ao futuro. Um indivíduo fará um investimento, dependendo da taxa de juros e das expectativas. Se as expectativas, por exemplo, forem boas (optimistas), ele provavelmente investirá. Esse conceito, considerado uma das grandes contribuições de Keynes à economia, foi também desenvolvido pela escola Sueca. As expectativas são importantes para a teoria da preferência pela liquidez. A demanda de dinheiro para satisfazer o motivo especulativo depende das expectativas sobre as mudanças da taxa corrente de juros.

EXPORTAÇÃO

Vendas de mercadorias (bens ou serviços) ao exterior. Embora apenas o valor das exportações de mercadorias -- as chamadas exportações visíveis --seja registrado no Balanço Comercial, as exportações de serviços (fretes, assistência técnica, seguros, juros, lucros etc.), chamadas de exportações invisíveis, são registradas no Balanço de Serviços. 

EXPORT NOTES

Cessão de direitos de contratos de exportação, do exportador ao investidor. O exportador levanta, desta forma, recursos em moeda nacional para financiar as suas vendas ao exterior. O exportador tem uma outra alternativa, que é o ACC Adiantamento sobre Contratos de Câmbio. O investidor, além da remuneração do título, tem a possibilidade de efectuar um hedge cambial.

EMPRESA MULTINACIONAL.

É aquela organização que actua em diversas nações, simultaneamente.

EMPRESA DE ECONOMIA MISTA.

Sociedade da qual o Estado participa maioritariamente, sob a forma de S.A.

edição
nº 473
todos
os números
glossário económico
CDC - Crédito Directo ao Consumidor

É o financiamento concedido por uma Financeira para a aquisição de bens e serviços pelos seus clientes. A sua maior utilização é normalmente para a...
ver todos os termos »