Cerca de 15 mil famílias de dez bairros da zona periférica e periurbana da cidade do Dundo, na província da Lunda Norte, poderão beneficiar de água potável, com a entrada em funcionamento da nova rede de produção e distribuição, no âmbito do Projecto de Desenvolvimento Institucional do Sector (PDISA).

O início das obras está previsto para Janeiro ou Fevereiro do próximo ano, segundo garantiu a especialista da Unidade de Coordenação do projecto do Ministério da Energia e Águas, Helena Elias, durante o Workshop sobre o “Plano de Implementação de Mecanismos de Resolução de Reclamações”, realizado, recentemente, na cidade do Dundo, vai permitir a abertura de 15 mil ligações domiciliárias para igual número de famílias, numa extensão de 150 quilómetros.
Na ocasião, a especialista disse que as obras visam aumentar a capacidade de produção e distribuição de água potável em nove cidades capitais de Angola e estão a ser financiadas pelo Banco Mundial.
O projecto prevê maior incidência no alargamento da rede de distribuição aos aglomerados populacionais das zonas periféricas dos distritos urbanos do Dundo e do Mussungue, na capital da Lunda Norte.
Disse que antes do início das obras do novo projecto de alargamento da rede de distribuição da capital da Lunda Norte, existe uma série de acções sociais e ambientais preliminares que devem ser desenvolvidas pelos técnicos do Ministério de tutela, em coordenação com as autoridades do governo provincial e da empresa pública local, gestora do sistema de águas e saneamento.
O Banco Mundial conforme alertou Helena Elias, só vai financiar projectos que sejam ambiental e socialmente sustentáveis daí, a necessidade de exigir aos governos provinciais documentos sobre o quadro do sistema de saneamento básico das cidades assim como as políticas de reassentamento , como condições para avançar com as obras.