Mais de 28.365 toneladas de produtos diversos foram colhidos pelos reclusos na campanha agrícola de 2018/2019, no estabelecimento penitenciário do Caboxa, na província do Bengo. O facto foi avançado durante a abertura do ano agrícola 2019/2020, no estabelecimento penitenciário pelo comandante provincial dos Serviços de Protecção e Bombeiros do Bengo, Mankenda Lukengane. Dos produtos cultivados constam 500 quilos de ginguba, 8.630 (tomate), 1.060 (banana pão), 2.055 (couve), 1.360 (batata-doce), 240 (beterraba), 3.870 (beringela), 585 (pimento, cenoura, banana de mesa, e quizaca). O responsável disse que a produção agrícola na penitenciária destina-se ao consumo interno e visa melhorar a dieta alimentar dos reclusos e efectivos. Depois de colhida, a safra foi entregue ao Departamento de Logística do Estabelecimento Penitenciário do Caboxa, e foram encaminhados à Direcção Nacional de Logística que por sua vez procedeu a distribuição aos estabelecimentos penitenciários sedeadosna província de Luanda. Mankenda Lukengane avançou que tendo em conta a necessidade de se aplicarem as políticas de reinserção social dos reclusos internados no estabelecimento penitenciário “tem-se procurado cumprir com rigor as normas que permitem a ocupação do tempo destes, naquilo que lhes dê ferramentas necessárias para a sua reintegração na sociedade, depois de cumprirem as suas penas”.

Previsão
Quanto à campanha agrícola 2019/2020, o estabelecimento prevê produzir em duas fases, sendo na primeira, que compreende o período de Novembro de 2019 a Abril de 2020, a produção das culturas de milho, mandioca, batata doce, banana e ginguba numa área de 17 hectares de cultivo, enquanto que na segunda se prevê cultivar repolho, tomate, beringela, pimento, cenoura, cebola, alface e beterraba, totalizando uma produção de 21,5 hectares. Por seu turno, o director do estabelecimento penitenciário, António Correia Moss, disse durante o acto, que na campanha agrícola de 2018/2019 estiveram engajados mais de 100 reclusos, o que permitiu fazer a colheita dos produtos que estão a contribuir para a dieta da população penal. “Para este ano agrícola contamos com 173 reclusos, devidamente seleccionados e enquadrados que visam superar as metas que alcançamos na campanha
agrícola transacta”, disse. O estabelecimento penitenciário de Caboxa, dispõe de 88 hectares destinados às actividades agro-pecuárias, destacando-se no domínio agrícola a produção da banana-pão e de mesa, batata-doce, ginguba, cebola, tomate, couve, pimento, repolho e mandioca, e na pecuária com maior realce para a área avícola e criação de gado suíno e caprino, o que tem permitido melhorar consideravelmente a dieta alimentar dos reclusos. O objectivo fundamental do desenvolvimento da actividade produtiva é assegurar de forma integral e sustentada o processo de reabilitação, ressocialização e reintegração dos reclusos, estando enquadrados neste domínio um número de reclusos.