O governo da província de Malanje vai investir 45 milhões de dólares para o desassoreamento do rio e 34 milhões para a construção do complexo da Juventude.

O governador da província de Malanje, Norberto dos Santos "Kwata Kanawa", disse, recentemente, na cidade de Malanje, no acto que marcou o lançamento dos projectos, que o bairro da Juventude vai ser construído num período de 18 meses.

Considerou o complexo juvenil como sendo um passo importante, uma vez que vai contribuir para a melhoria da imagem da cidade de Malanje e por outro lado, para o bem da juventude quer para a sua formação como para a ocupação dos seus tempos livres.

Pediu aos responsáveis da empresa chinesa CAMC (encarregue da construção do projecto) para recrutar preferencialmente jovens residentes para garantir o seu emprego.

Projecto

O complexo da Juventude está localizado na nova urbanização da Catepa, junto à estrada nacional 140 e vai, segundo apurou o JE no local, ser uma referência no apoio à juventude da província de Malanje, com uma vertente principal na área de formação, apoiada por instalações de alojamento e áreas de lazer.

Com uma área de 17 mil metros quadrados, o complexo vai marcar uma nova era de edifícios públicos inspirados num dos marcos paisagísticos que mais identificam a província de Malanje, as Pedras Negras do Pungo Andongo localizadas no município de Cacuso.

De acordo com o consultor Pedro Cunha, as formas arquitectónicas dos vários edifícios que vão compor o complexo, através de planos e remates curvos, aliados à distribuição urbanística dos edifícios no terreno, pretendem transpor uma visão moderna de arquitectura contemporânea ou seja, a imagem e sensação visual do conjunto das Pedras Negras de Pungo Andongo.

A área de construção, disse, é aproximadamente de cinco mil metros quadrados e vai ser composta de um edifício destinado ao auditório com a capacidade para 60 pessoas, uma biblioteca e uma área de apoio, um outro edifício destinado à formação que vai ser composta por quatro salas, com a capacidade de acolher até 32 formandos por sala.

Terá um edifício da administração composto por piso térreo e por um primeiro andar que vai albergar espaços fundamentais para as funções administrativas e de gestão do complexo, dentre outros.

O espaço vai ainda ser aproveitado para a instalação de um refeitório, dormitórios, de apoio, alojamento, para além de campos de jogo, piscina e balneário de apoio.

Rio Malanje vai ser requalificado

O rio Malanje, localizado junto da zona urbana da cidade, com uma extensão aproximada de três quilómetros compreendidos entre a estrada nacional 230, será desassoreado num período de 12 meses.

Segundo o consultor Pedro Cunha, a intervenção que se pretende visa restabelecer as condições de escoamento adequadas ao caudal do rio Malanje.

Através da normalização do escoamento do caudal, prosseguiu serão, igualmente, prevenidas e controladas as cheias provocadas pelas elevadas precipitações pluviais, melhorando dessa forma, a qualidade de vida das populações dos bairros limítrofes a este troço do rio.

Trabalhos de drenagem

A par dos trabalhos de desassoreamento do leito do rio naquela área vão ser, igualmente, realizados trabalhos de drenagem pluvial das margens do rio.

O projecto prevê a reparação e beneficiação do açude existente com uma extensão de 100 metros com destaque para a substituição do descarregador das cheias, com a instalação de comportas metálicas de controlo de caudal do rio.

Augura que com tal intervenção, seja corrigido o impacto ambiental provocado por décadas desassoreamento de detritos presos pelo açude para além de constituir uma melhoria para a qualidade de vida das populações dos bairros limítrofes.

Esta intervenção vai ajudar a corrigir o impacto ambiental provocado por décadas de assoreamento de detritos presos no açude.

Na ocasião, o director provincial para Infra-estruturas e Serviços Técnicos, Miguel Correia, assegurou que o desassoreamento do rio Malanje a muito se fazia sentir tendo em conta a imagem que apresenta e pela sua localização.

Aos moradores cujas casas serão demolidas como consequência do trabalho a ser levado a cabo, o responsável tranquilizou ao afirmar que o Governo tem salvaguardada a situação com a atribuição de novas moradias em construção no bairro da Carreira de Tiro.

Miguel Correia referiu que os moradores que vivem ao longo do rio Malanje serão transferidos ainda neste mês de Março de forma faseada para as 500 casas construídas.

A cidade de Malanje, capital da província com o mesmo nome. O também município de Malanje tem 2.422 quilómetros quadrados e 221.785 habitantes. É constituído pelas comunas de Malanje, Quimbamba, Ngola-Luíje, Cambaxe, Cambondo e Cangando.