O projecto “Raízes da Terra” avaliado em 170 milhões de dólares pretende contribuir na oferta de casas nas regiões citadas

Depois de investir em projectos imobiliários de alto padrão, como o condomínio Jardim do Éden, em Talatona, em Luanda, o grupo empresarial Super Campúa, em Angola há quatro anos, inicia a construção de 540 apartamentos de média renda, cujo término das obras está aprazado para 2011. Denominado “Raízes da Terra”, o projecto vai consumir um montante de 170 milhões de dólares norte-americanos.

O mesmo engloba habitações verticais e horizontais, em tipologias T3 e T4, distribuídas pelas províncias de Luanda com dois edifícios e Huíla com um. Os mesmos vão custar entre 160 mil e 260 mil dólares norte-americanos.

Estrutura

O conceito do projecto é de um bairro planeado que integra serviços como playground, áreas de lazer, quadras polidesportivas e segurança 24h horas. Ainda vai ter infra-estrutura completa de água, luz e esgoto, e mini-mercados, Spa, ginásio e salões de beleza. Denominados “Raízes da Terra”, os empreendimentos estarão localizados na zona de Cacuaco, Benfica (ambos em Luanda) e no Lubango, na capital da província da Huíla. Os imóveis terão três opções de residências como a casa térrea, sobrados geminados e apartamentos.

“Cada um dos condomínios terá uma configuração diferente, ou seja, vai congregar três tipos de habitação no mesmo espaço”, explica o sócio do grupo, Liu Chan.

Tipos

As residências estão disponíveis nas tipologias de T3 e T4, a casa térrea T4, com 139 metros quadrados, tem como diferencial em relação ao T3 (104 metros quadrados) e com a presença de uma sala específica para home theater.

Os sobrados geminados T3 e T4, ambos com 210 metros quadrados, terá piscina privativa e laje impermeabilizada, além de uma segunda cozinha no fundo da residência, com um quarto e casa de banho adicional para caseiro ou empregada da casa.

Os apartamentos T3 e T4 (com 121 e 142 metros quadrados de área possuem uma suite, leving, sala de jantar, varanda e área de serviço.

A fachada exterior das construções terá variações, e sem padronizações absolutas. Os desenhos aplicados nos condomínios “Raízes da Terra” foram inspirados em empreendimentos estabelecidos em grandes cidades do mundo.

“Os prédios de Cacuaco, por exemplo, com apenas um térreo e dois andares, serão do estilo utilizado nos Estados Unidos”, afirma Liu Chan.

Apesar das variações, as áreas internas de cada tipo de residência são todas iguais, independentemente da arquitectura dos imóveis.

Preços

Liu Cham disse que um apartamento de 121 metros quadrados está a ser comercializado ao preço de 169 mil dólares.

A venda das primeiras 400 unidades dos condomínios vão arrancar a partir de Outubro de 2011.

“A nossa expectativa, com essa qualidade a um preço desse nível, é vender tudo. Teremos quartos grandes, plantas boas e bastante conforto”, disse, Liu Chan, acrescentando que o segmento da classe média não tem sido muito atingido pelos projectos imobiliários e, com “Raízes da Terra”, o grupo também procura se inserir na iniciativa governamental de construir um milhão de casas.

Emprego

Cerca de 700 angolanos ganharam emprego, nesta fase do arranque do projecto. Para a execução plena do plano, a Super Campúa contratou quatro arquitectos.

Outros projectos

O grupo empresarial Super Campúa vai investir ainda em 2010 mais de sete milhões de dólares para a construção de um novo complexo residencial na província de Uíje.

O empreendimento a ser erguido pelo grupo empresarial estará em fase de implantação em finais de Dezembro de 2010, tendo o seu desenvolvimento dividido em duas etapas que contemplarão seis edifícios em sentido vertical. A primeira etapa vai contemplar quatro torres, sendo duas residenciais e duas empresariais.

As torres residenciais possuem pavimento de garagem único, pavimento térreo com infra-estrutura de lazer e business center, além de quatro pavimentos duplos de unidades DUPLEX. No total serão 112 apartamentos do tipo T1, T3, e T3, respectivamente. As moradias vão ter áreas privativas variando entre 118 a 132 metros quadrados.

Cada unidade vai possui duas vagas de garagem cobertas e um maleiro privativo na cave.

De acordo com o sócio Liu Chan, a operacionalidade nas outras províncias, abrem excelentes perspectivas para o alargamento de projectos de infra-estruturas, como construção de moradias para a população local.

Leia mais sobre outras notícias na edição impressa do Jornal de Economia & Finanças desta semana, já em circulação