Salientou que, de Janeiro a Março deste ano foram plantadas 35 mil árvores de espécies diversas, com vista a repovoar os espaços vazios e a recuperar muitas das que se encontram em risco de extinção na província, no sentido de se prestar maior
atenção ao meio ambiente.
“Estamos num bom caminho, mas devemos continuar a prestar muita atenção aos problemas ambientais, e acredito que com os esforços do Governo podemos fazer muito e melhor para o bem das nossas populações e tornar o Huambo numa
província ecológica”, enfatizou.
O coordenador do projecto “Estrela das florestas” para as províncias do Huambo, Huíla e Benguela, Domingos Afonso, disse que foram cadastradas 12 empresas para operar numa área de 148 hectares nos polígonos exóticos destas três províncias, e a partir de Outubro, o Executivo angolano vai repovoar 200 hectares de florestas nestas regiões, que vai permitir a criação
de 10 mil postos de trabalho.
O programa do Executivo reserva ainda novos investimentos em novas plantações florestais, com envolvimento das populações para alavancar este sector económico sustentável, mas ainda pouco
reconhecido no país.
A ambientalista Sofia Santa reconheceu que nos últimos tempos tem havido envolvimento, ainda que tímido, da população, na preservação do meio ambiente, e acredita que com um pouco mais de esforço pode ser melhorado.
“As comunidades devem empenhar-se mais, participando em campanhas de plantação de árvores, limpeza, protecção dos espaços verdes, dentre outras”, sublinhou a ambientalista.
Aponta o melhoramento das vias e da iluminação pública, mudança da imagem das estufas-frias e a plantação de novos polígonos florestais como essenciais para o bem-estar das populações.

Combate à desflorestação

Um total de 200 plantas das espécies de eucalipto, cedro, pinheiro, casuarinas, acácias rubras foram plantadas nos arredores da cidade do Huambo para manter o bom ambiente, repor as cortinas contra os ventos e salvaguardar a natureza, em campanha organizada pela esposa do governador provincial, João Baptista
Kussumua, Ilda Kussumua.
A primeira-dama da província disse que em algumas artérias da cidade onde no passado haviam sido plantadas algumas espécies de árvores para ornamentação foram vandalizadas, e há toda a necessidade de se restituir estas espécies.
A esposa do governador ressaltou a necessidade de se incutir nas crianças, jovens e adultos a educação sobre o meio ambiente e a cultura de cuidar as plantas e reconheceu a participação e contribuição dos munícipes nas campanhas
de combate ao lixo.

Campanha de sensibilização
Por seu turno, os fiéis da Igreja Adventista do 7º dia, em parceria com a Direcção provincial do Ambiente promoveram também uma campanha de sensibilização sobre a importância da preservação do ambiente.
Durante a campanha,foram distribuídos alguns folhetos com informações sobre a preservação do ambiente e o cuidado
a ter para se evitar doenças.