A ausência de acessórios, equipamento mecanizado e tecnológico para auxiliar a actividade agro-pecuária e tornar o cultivo de alimentos mais célere e rentável, tem sido uma das preocupações dos pequenos e grandes agricultores nacionais,

particularmente da Huíla.
A maioria dos camponeses utilizam juntas de bois com charruas, enxadas e outros utensílios do campo para desbravar os
campos agrícolas e semear.
Enquanto alguns dos grandes agricultores, possuem meios mecanizados , outros recorrem a prestação de serviços de tractores de baixa e alta potência.
Para minimizar o problema a Mecanagro há muito tempo deixou de exercer o seu objecto social, um grupo de empresários implantou na praça huilana, uma concessionária de equipamento agrícola diverso, onde dezenas de produtores da região sul têm recorrido.
Tratam-se das empresas Indagro-Toyota e Primor, que colocaram
à disposição dos agricultores e pecuaristas diversos tractores, semeadores automáticos, carroças para transporte dos produtos, assim como os respectivos acessórios dos meios.
O responsável da empresa Indagro-Toyota, Cândido Júnior explicou ao JE que os meios mecanizados facilitam toda actividade do campo, desde o desmatamento, preparação de solos,
plantação, transporte e outros.
“Esclarecemos aos produtores que há facilidade de se adquirir os meios mecanizados a crédito desde que apresentem propostas convincentes e cada um cumpra com os prazos a serem acordados”, disse, depois de ter acrescentado que há agricultores que se associam para a aquisição dos meios.
Cândido Júnior descreveu que o propósito é doravante evitar que os agricultores e empresas de construção civil tenham os tractores para a produção, empilhadoras e outras máquinas pesadas imobilizadas
por falta de sobressalentes.
“Os nossos acessórios permitem rapidamente fazer a reposição do material fora de uso”, disse.
Sublinhou que os estudos de mercados efectuados nas províncias da Huíla, Namibe, Cunene e Cuando Cubango concluíram que apesar de haver um mínimo de equipamentos mecanizados, antes registava-se a carência acentuada de acessórios que paralisava por longo
tempo as máquinas agrícolas.
“Temos aconselhado aos agricultores interessados numa produção em grande escala a adquirirem tractores de marca Casei por estarem preparados para lavrar qualquer tipo de solo”, referiu, para garantir que “estão à disposição de prestar qualquer tipo de assistência aos meios dos agricultores.