Com vista a contribuir para a produtividade da agricultura familiar no país, o Governo prevê a aquisição e entrega durante a campanha agrícola 2018/2019 um total de 2.400 toneladas de sementes de milho, 100 toneladas de massango, 330 toneladas de feijão manteiga, revelou, terça-feira última em Malanje, o ministro da Agricultura Marcos Nhunga. O governante, que prestou a informação durante o Conselho Técnico do IDA, que encerrou, quarta-feira, sob o Lema “ Aumentar a produtividade na agricultura familiar e garantir a segurança, disse que ainda que as projecções apontem igualmente para a entrega de25 milhões de estacas de mandioca, 4.500 toneladas de fertilizantes, 4.000 toneladas de sulfato de amónio, 2.000 toneladas de ureia e 4.000 toneladas de calcário dolomítico
De acordo ainda com o ministro Nhunga” vão ser igualmente disponibilizados para o sector familiar 40 mil charruas de tracção animal, pulverizadores, e preparação mecanizada de 1.000 hectares. O titular da pasta da Agricultura referiu ainda que a operacionalização do plano de desenvolvimento do sector referente ao período 2018/2022 passa pela melhoria das vias secundárias e terciárias, facilidade de acesso aos mercados para permitir o escoamento da produção, o aumento e consequente formação de técnicos agrários no meio rural, com vista a dar resposta ao número de famílias assistidas. Marcos Nhunga avançou que para a campanha agrícola que se avizinha, as atenções estarão centradas na consolidação dos programas iniciados este ano e projectar novos desafios, tendentes a reabilitar a capacidade produtiva das famílias e assegurar a transformação da agricultura de subsistência em agricultura orientada para o mercado. Isso, envolve a mobilização de recursos e a realização de acções que visam o aumento da disponibilidade de meios e facilitação no acesso ao crédito bancário”, Segundo fez saber o ministro da Agricultura e Florestas, na próxima época agrícola que esta já a ser preparada vão ser produzidos mais de vinte milhões de toneladas de produtos agrícolas diversos. Da lista de produtos destacam-se 11 milhões de toneladas de tubérculos, 4 milhões de frutas diversas, três milhões de cereais, dois milhões de hortícolas e 800 mil toneladas de leguminosas. De acordo com o ministro, para o alcance de tais metas, serão preparados cerca de cinco milhões de hectares para o cultivo, sendo 2.900 mil de forma manual, dois milhões através do recurso à tracção animal e
19 mil serão mecanizados. O gestor avançou que os recursos previstos no OGE- para 2018, garantem mais apoio à agricultura familiar, com a inclusão de projectos com financiamento externo e a facilitação de créditos bancários. Marcos Nhunga defendeu a necessidade de se continuar a incentivar o uso da tracção animal nas zonas com tradição neste domínio, para a diminuição da preparação manual de terras. Na ocasião, apontou a limitada disponibilidade de factores de produção no mercado nacional, os elevados preços dos insumos no país, a ausência de indústrias para o fabrico de instrumentos de trabalho.