Cerca de 85 por cento da população rural da província do Huambo deixou de consumir água imprópria com o alargamento da rede de distribuição, construída no âmbito do programa “Água para Todos”.
O programa assegura o fornecimento de água tratada e canalizada para as populações residentes nas zonas distantes dos centros urbanos.

Balanço
O PCA da empresa pública das águas no Huambo, Adolfo Gomes Elias, revelou que estão em funcionamento em toda a extensão da província 167 pequenos sistemas, bem como 63 captações em rios e nascentes, 379 chafarizes, 428 cacimbas, equipadas com bombas manuais e 565 furos de água.
Até ao momento, pelo menos 971.068 consumidores estão abrangidos no programa, numa cobertura de 39,3 por cento, num universo de mais de
2,5 milhões de habitantes.
A nível de toda a província foram consignadas em 2017, pelo Ministério da Energia e Águas, obras para a construção de sistemas de águas no município da Chicala Choloanga e dos lotes 1 e 2 da segunda fase do abastecimento de água no município do Huambo.
Depois de concluído, o primeiro lote do novo sistema de abastecimento de água do Huambo, a partir do rio Cunhoñamua, vai bombear 1.900 metros cúbicos de água por hora para beneficiar 532.459 habitantes.
Para o lote 2, que prevê beneficiar o mesmo número de habitantes, inclui, entre outros, a construção de três centros de distribuição, reservatórios com 5 mil metros cúbicos de capacidade.
Decorre também a promoção e o acompanhamento do modelo de gestão comunitário para assegurar a continuidade da funcionalidade dos sistemas montados em todos os municípios. JV