As potencialidades que o país dispõe no sector turístico têm estado a contribuir para a sua dinamização. É nesta conformidade que cerca de 45 profissionais angolanos do ramo do turismo, concluíram recentemente um curso “online”, ligado a agências de viagem e operadores turísticos, numa cooperação entre Angola e África do Sul.

Segundo o secretário executivo da associação de agências de viagem e operadores turísticos de Angola (AAVOTA), Augusto Pedro, o objectivo desses cursos visam dinamizar a qualidade dos serviços prestados no sector de turismo e aumentar as receitas do ramo.

De acordo com o responsável, com a certificação destes profissionais, o país vai conhecer uma melhor dinâmica na prestação de serviços no ramo de turismo e dinamizar a economia nacional. Augusto Pedro afirmou, por outro lado, que com a aposta na formação de quadros nacionais, o país passa a contar com especialistas com ferramentas para responder as exigências do ramo de turismo. Para o responsável é essencial apostar mais neste tipo de formações.

O mercado angolano, está cada vez mais exigente no que se refere às opções das ofertas turísticas e é importante elevar os padrões de qualidade, para satisfação constante dos nossos clientes.

“Este tipo de iniciativa de certa forma contribui para o fortalecimento das relações entre os dois países”, disse.

Cooperação
Para Carolina Guerra, responsável comercial do turismo da África do Sul em Angola, afirmou, que ao certificarem-se os operadores de turismo estarão mais aptos a oferecer pacotes de viagem mais apelativos e a responder às necessidades específicas dos seus clientes.

“Esta será uma forma de promover melhor o destino e consolidar a sua posição no mercado”, destacou.

Para a responsável, num mercado competitivo como é o do turismo, todos os factores de diferenciação são importantes. Segundo avançou, o curso em “online” continuará disponível para quem estiver interessado, em participar e saber mais sobre a África do Sul e Angola.

O curso é gratuito e compreende 13 módulos, sendo quatro módulos obrigatórios e mais três opcionais. O conhecimento dos participantes é avaliado no final de cada módulo através de um teste de escolha múltipla, no qual terão que acertar, no mínimo, oito das dez perguntas. Para a obtenção da certificação final, os participantes devem ainda passar com distinção. O programa está disponível em português e em inglês.

Esta iniciativa enquadra-se na política do Executivo que pretende até 2017, aumentar as receitas do sector no produto interno bruto (PIB).