Um projecto piloto virado para o incremento da promoção da actividade da apicultura, que contará com o apoio da FAO e do PNUD para beneficiar milhares de mulheres da região Sul de Angola, foi assinado na passada terça-feira, em Luanda.
Rubricado entre a ministra da Família e Promoção da Mulher, Filomena Delgado, e o representante da FAO em Angola, Mamoudou Diallo, o protocolo tem a duração de dois anos, numa primeira fase, foram aplicados 500 mil dólares, onde metade deste investimento será aplicado para pesquisa, formação, e o restante incidirá para a aquisição de equipamentos.

Apoio às iniciativas

A pretensão é contribuir para a melhoria da segurança alimentar e nutricional, fortalecer às capacidades de resiliência da população vulnerável e reforçar o emponderamento das mulheres e dos jovens, que abrangerá um universo de 90 por cento.
Na ocasião, a ministra disse que o projecto piloto vai permitir mobilizar novos financiamentos, promoção do sector da apicultura, incremento da produção e no progresso da qualidade e comercialização do mel.
A governate sublinhou que o apoio financeiro resulta da cooperação com duas agências das Nações Unidas, com a contribuição do Minfamu na mobilização das comunidades e a responsabilidade do acompanhamento para a formação dos beneficiários. Estima-se que numa primeira fase serão formadas 250 beneficiários.
Segundo argumentou, o propósito é alinhar o projecto com os objectivos do desenvolvimento sustentável, principalmente a redução da pobreza, fome, igualdade do género, além da sustentabilidade económica.
Mamoudou Diallo disse que o projecto conjunto resultar de um programa nacional de promoção da apicultura em Angola, que visa contribuir para o alcance dos Objectivos do Desenvolvimento do Milénio.