Angola, através do Ministério da Agricultura e Florestas, participou na última terça-feira, em Tel Aviv (Israel), na “Agritech Israel 2018”, uma das exposições mais importantes do mundo no campo das tecnologias agrícolas. A delegação angolana na Agritech foi chefiada pelo secretário de Estado da Agricultura para o Sector Empresarial Agrícola, Carlos Alberto Jaime. A Agritech Israel 2018, 20ª Conferência Internacional de Tecnologia Agrícola, é uma exposição de sucesso sobre tecnologias e inovações agrícolas, de acordo com uma nota de imprensa da embaixada de Angola em TEL AVIV, chegada terça-feira à Angop. A exposição, que decorreu até ontem, quinta-feira sob o tema “Agricultura em Regiões Áridas e Semi-Áridas”, deve concentrar as atenções nos desafios e soluções que essas regiões enfrentam em todo o mundo. O evento, teve lugar no Centro de Convenções e Feiras de Israel, em Tel Aviv, destacou também os esforços e conquistas dos formuladores de políticas, cientistas, indústrias, organizações, agricultores, empresas de projectos e banqueiros, para superar as barreiras do deserto e os limites agrícolas, bem como expandir as fontes de alimento. Israel está prestes a se tornar um importante participante no fornecimento do mundo de soluções agrícolas de ponta. Entre as maiores realizações de Israel na agricultura estão a utilização das suas áreas desérticas como estufas e os revolucionados métodos de irrigação. Além disso, Israel tem a maior taxa de esgoto reutilizada do mundo e as mais avançadas tecnologias agrícolas para aquecimento de água e geração de electricidade. Israel, um território de características desérticas e semi-áridas, utiliza o sistema de irrigação por gotejamento de alta tecnologia para produzir os seus produtos agrícolas, possuindo deste modo a agricultura mais modernizada do mundo. A agricultura de Israel é líder em pesquisas, sendo referência para o desenvolvimento rural mundial, num contexto em que é cada vez mais decisivo alcançar a eficiência no uso da água, devido ao aquecimento global, e aplicar a tecnologia, melhorar a produção de alimentos com sustentabilidade pelo rápido crescimento da demanda por alimentos. O secretário de Estado da Agricultura para o Sector Empresarial Agrícola faz-se acompanhar do presidente do conselho de administração da Gesterra, Carlos Paim. Israel é considerado um dos países mais avançados do sudoeste da Ásia em desenvolvimento econômico e industrial. O país foi classificado como o de nível mais elevado da região pelo Banco Mundial, bem como, no Fórum Económico Mundial. Tem o maior número de empresas cotadas na bolsa NASDAQ fora da América do Norte. Em 2007, Israel foi convidado a aderir à Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE), que promove a cooperação entre os países que aderem aos princípios democráticos e explorar economias de mercado. Apesar dos limitados recursos naturais, o intensivo desenvolvimento industrial e da agricultura ao longo das últimas décadas fez com que Israel se tornasse amplamente auto-suficiente na produção de alimentos, especialmente grãos e carne. Entre os produtos muito importados por Israel, totalizando 47,8 mil milhões de dólares em 2016, incluem-se combustíveis fósseis, as matérias-primas e equipamentos militares. Os produtos que Israel mais exporta são frutas, vegetais, produtos farmacêuticos, softwares, produtos químicos, tecnologia militar, diamantes. Em 2016, o volume de exportações do país atingiu 42,86 mil milhões de dólares.