Angola precisa capitalizar os jovens numa perspectiva de desenvolvimento de software como um alvo que se deve atingir, disse, recentemente, o secretário de Estado para as Tecnologias de Informação, Manuel Homem.
O responsável, que falava à imprensa a propósito da abertura do Concurso Regional Sul-africano de Programação (ACM-ICPC), disse que o concurso vem aproximar o país ao núcleo das grandes universidades que estão neste momento a investir no segmento da programação de software.
De acordo com Manuel Homem, para se construir uma sociedade de informação cada vez mais próxima dos padrões internacionais é fundamental
que se invista no conhecimento.
Na óptica do governante, o que se assistiu no evento, que contou com a participação de Angola, é uma oportunidade para os jovens angolanos estarem inseridos num conjunto de programadores de sistemas informáticos internacionais, factor que trará para o país um benefício na formação de quadros, criação de sistemas informáticos que possam propiciar iniciativas de comércio.

Ferramenta de negócio

Explicou que actualmente o software é uma ferramenta que facilita o negócio e o conhecimento a nível do ensino, e quanto mais jovens estiverem inseridos nesse ciclo mais o país sairá a ganhar.
Relativamente ao Angosat, disse ser uma infra-estrutura que surgirá para massificar o conhecimento a nível das tecnologias de informação.
Esclareceu que o Angosat é uma infra-estrutura de base que facilitará a interligação das comunicações nacionais, potenciará a utilização da internet em vários locais que se a juventude tiver acesso, mas facilmente os seus conteúdos estarão disponíveis na internet.