O Instituto Nacional dos Transportes Rodoviários prevê remeter, em breve, ao Ministério das Finanças, uma proposta de revisão dos preços de venda dos autocarros de transportes públicos.
Segundo o director Nacional do Instituto de Transportes Rodoviários, Jorge Bengue, que falava, recentemente, à imprensa, na cidade de Ndalatando (Cunaza Norte), a pretensão é reduzir o preço de venda de autocarros à disposição do empresariado das 18 províncias do país, de 58 milhões de kwanzas para 30 milhões.
A proposta resulta da necessidade de se adequar os custos dos referidos meios à capacidade dos empresários locais que são os principais candidatos à aquisição dos referidos autocarros destinados a operar no casco urbano e nas vias intermunicipais.
No encontro que manteve com empresariado local, Jorge Bengue esclareceu as modalidades do concurso de aquisição dos 15 autocarros de transportes de passageiros à disposição da província, sobretudo em relação às modalidades de pagamento, linhas de circulação, gestão, manutenção e aproveitamento dos mesmos.

Novo diploma legal
O responsável aproveitou a ocasião para apresentar, ao empresariado local, o novo diploma legal que regula o acesso à actividade de transportes de passageiros, promoção de investimento privado no sector e as condições para circulação dos autocarros nas zonas urbanas, sobretudo em relação à sinalização de trânsito, criação de paragens de recolha e descarga de passageiros.
Disse estar igualmente em estudo, a criação de um diploma que vai regular a actividade dos moto-táxi que se espera que venham igualmente a ser tributados pelo facto da sua actividade ser geradora de receitas, mas sem nenhuma contrapartida para o Estado.
Por outro lado, Jorge Bengue disse que haverá um aumento do parque automóvel de autocarros de transportes públicos a nível do país, numa altura em que foram já distribuídos 497 veículos dos mil e 500 previstos para as 18 províncias.