Durante o ano agrícola de 2018/2019 foi programada assistência técnica a 1,3 milhões de famílias camponesas, de um total de 2,8 milhões, tendo sido possível prestar essa assistência a 943 mil famílias, o que representa 72 por cento do universo programado.
Para o apoio ao sector agrícola foram adquiridos 990 tractores que deverão garantir a criação e a entrada em funcionamento de 70 brigadas de mecanização agrícola e 15 de engenharia rural, o que levará ao incremento da área total trabalhada.
Comparando com a campanha agrícola de 2017, registaram-se avanços na produção de alguns produtos, nomeadamente de cereais, que passa de uma produção de 2.878.006 toneladas em 2017 para 2.902.643 em 2018, de raízes e tubérculos, passa de 10.876.857 toneladas em 2017 para 11.136.827 em 2018; de frutas, passa de 5.211.593 toneladas em 2017 para 5.314.860 em 2018 e de hortícolas, de 1.889.482 toneladas em 2017 para 1.938.791 em 2018.

Auto-suficiência
O país atingiu a auto-suficiência em termos de produção de ovos com uma produção anual de 1.119.058.000 de ovos, não carecendo portanto de importar este produto de alto consumo familiar e industrial.
No domínio das florestas, foi exportado de Setembro de 2018 a Junho de 2019 um total de 75.522 metros cúbicos de madeira serrada, sendo que 71.621 em peças e 3.900 em blocos.
Na campanha 2018/2019, o Ministério da Agricultura e Florestas pôs à disposição dos camponeses familiares 15 mil charruas de tracção animal.

Aumentar a produtividade
A agricultura familiar abastece em mais de 90 por cento dos alimentos do campo consumidos no mercado nacional.
Entretanto, a agricultura empresarial vai se despontando de forma notória em algumas regiões, tendo em conta que no ano agrícola de 2018-2019, o sector empresarial contribuiu com 440 mil hectares, o que corresponde a 0,8 por cento do PIB.
Quanto aos projectos agrícolas co-financiados pelo Estado angolano e agências internacionais, destacam-se a implementação do Projecto de Desenvolvimento da Agricultura Familiar e Comercialização (Mosap II), que está na segunda fase e a ser executado nas províncias de Malanje, Huambo e Bié.
O Mosap II, que actua de forma complementar nas acções do IDA, está orçado em cerca de usd 95 milhões e beneficia pelo menos 150 mil famílias, num co-financiamento do Governo angolano e do Banco Mundial.
O Projecto de Cadeia de Valor, lançado recentemente na província de Cabinda, também é uma das iniciativas que contam com o financiamento externo, e está orçado em cerca de 123 milhões de dólares, co-financiados pelo Governo e pelo Banco Africano de Desenvolvimento (BAD).

Importância
O Executivo continua a prestar atenção especial à agricultura familiar face às necessidades da auto-suficiência alimentar.
A incidência do sector no valor global do OGE passou de 0,4 por cento em 2018 para 1,57 em 2019, valor ainda insuficiente para a importância que esse sector tem para a necessária diversificação da economia, para a auto-suficiência alimentar e para a melhoria das condições de vida da população.
Actualmente, o sector controla mais de 10 mil cooperativas agrícolas que têm beneficiado de formações contínuas.